sábado, 13 de dezembro de 2008

A semiótica e eu

Semiótica? O que é isso? É eu sei. Muitos devem estar fazendo esta pergunta e juro que vou, tentar, explicar.

Quando entrei na faculdade, no curso de Publicidade e Propaganda, ouvi uma lenda, vocês sabem que elas existem, que dizia que Semiótica era a pior cadeira do curso, a mais temível, a mais difícil e etc. Tinha um colega que toda a terça-feira chegava comentando a aula de Semiótica do dia anterior: "Cara, é impossível de entender, não tem jeito, acho que vou trancar, talvez ela saia do currículo ou o professor mude. Sei lá. É IMPOSSÍVEL." Outros, chegavam dizendo que era uma cadeira inútil, que só ocupava o tempo e dava dor de cabeça. Claro que, com todas essas referências, eu estava apavorado, criando um monstro na minha cabeça. Veio o segundo semestre e eu passei Semiótica. O terceiro Também. mas no quarto não tinha como evitar, eu ia empurrar até quando? Até chegar o TCC? Não, devia ter coragem e encarar logo isso. Então eu fui, apavorado. Devo ser justo antes de qualquer coisa. Ir assustado para as aulas de Semiótica me fez estudar e prestar a atenção muito mais do que faria se fosse sem nenhum conceito formado.

As primeiras aulas foram horríveis. O professor passava textos complicados, com expressões complicadas, até os nomes dos autores eram complicados! Mas eis que vem a figura importante do professor Alexandre (eii, não encarem isso como um ato puxa-saco). Não houve uma dúvida que não foi esclarecida, nenhuma! Era um professor incansável, tentando explicar o, aparentemente inexplicável, para 50 alunos.
Posso dizer que Semiótica é uma matéria extremamente importante para a comunicação. Ela estuda as possibilidades de significação que um signo pode produzir. De novo não entendeu? Ta eu sei! Quando alguém lê um dos sonetos do Camões, por exemplo. Uns vão entender perfeitamente o que ele quis dizer, outros vão criar novos significados para aquilo que ele quis dizer, outros simplesmente vão achar que não entenderam... Essas possibilidades, esse estudo das linguagens verbais e não-verbais, isso é semiótica – fascinante! O mais legal é saber que a semiótica não estuda se um signo é verdadeiro ou falso, só esta preocupada em saber as possibilidades que ele pode produzir. Bom, vou tentar não entrar em muitos detalhes para não dar um nó em mim mesmo.

No fim das contas, o monstro não era tão feio assim. Foi uma cadeira tranqüila, exigente, mas tranqüila de passar – é só ler, prestar atenção e participar. O problema é que alguns alunos querem tudo fácil, não querem ler, nem entender, só querem passar, só querem um diploma pra exibir na parede de casa. Daí complica né.
Posso dizer que aprendi muito neste semestre. A comunicação é algo extraordinário, algo tão importante. E como comentou a Nathália num post anterior, existe público para tudo, cabe aos comunicadores (publicitários, jornalistas, relações públicas) saber como atingir esses públicos. Ou melhor, saber que signos usar.
E VOCÊ? JÁ TEVE UMA MATÉRIA QUE TE ASSUSTASSE? JÁ CRIOU UM MONSTRO QUE NÃO EXISTIA? PASSOU POR UM DESAFIO E TIROU BOAS LIÇÕES DELE? COMENTA AÍ!
Música do Momento: Sly Fox - NaS

Um comentário:

  1. Primeiramente gostaria de agradecer o mencionar do meu nome e do comentário que fiz anteriormente!!!!
    E claro... Fazer mais um comentário!!!!
    Quem já estudou... Sempre teve aquela matéria na escola ou cadeira na faculdade.... onde criou um "bicho de sete cabeças"....porém tem aquele que acharam graça e passaram tranquilamente e aqueles que acreditaram tanto no "bicho" que nem se esforçaram o suficiente!!!! Bom hj não estou muito inspirada mas prometo melhorar....

    ResponderExcluir

Obrigado por estar aqui.
Comente! Afinal este espaço também é seu.