quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Diário de um desempregado

Houve o tempo em que eu gostava de ficar em casa sem fazer nada. Chegava do colégio, tirava os tênis pesados, colocava uma roupa mais confortável, servia uma Coca, me atirava no sofá e ligava a TV, tendo a tarde toda pela frente Ah que tempo bom!
Mas já era. Não suporto essa idéia. Odeio ficar parado, preciso me movimentar, preciso de uma ocupação. É sério! To pedindo socorro! Culpa dessa maldita crise mundial! Eu tinha um emprego bom, ganhava bem, mas há quatro longos meses eu estou de férias forçadas.
Bom, vejamos pelo lado positivo das coisas, ele sempre existe. Resolvi me dedicar a minha área, publicidade e aprendi muito nesse período. A primeira coisa que aprendi foi que preciso saber mexer em todos os programas que a Adobe cria (Photoshop, Illustrator, Indesign e etc.). A segunda coisa que aprendi é que existem muitos publicitários com o mesmo objetivo que eu, e que só criatividade não basta para ser contratado. A terceira coisa que aprendi é que um portifólio é importante e logo descobri que não tinha um, nem nada para compor um. Por fim aprendi que estágio deixou de ser uma oportunidade para aprender, eles querem profissionais completos e seguros, com experiência.
Ficar desempregado é terrível. Você se sente inútil, nem descansar consegue, já que você pensa que precisa achar algo para fazer. Seu corpo e sua mente se acustumam ao trabalho, agora entendo porque aposentados ficam depressivos ou porque alguns profissionais vendem 10 ou 20 dias de férias.
Meus dias tem sido pesados, cansativos por serem iguais. To enloquecendo aqui, principalmente por perceber que estou acompanhando "Mulheres Apaixonadas" no Vale a Pena Ver Denovo! Isso me deprimi realmente.
Mas, como disse antes, estou tirando lições positivas dessa experiência. Passei a valorizar o trabalho como nunca tinha valorizado. Outro dia estava na praia e passou um cara puxando um carrinho de sorvete no Sol latente. Depois que ele passou por um grupo de crianças elas chamaram ele pra voltar pois elas queriam picolé. O cara resmungou a seguinte frase: "Que merda, porque eu fui nascer pobre!". Na hora me deu um misto de raiva e inveja dele. Raiva por ele ter um trabalho e estar reclamando dos próprios clientes e inveja por ele TER um trabalho e eu não.
Continuo minha peregrinação por um trabalho na área de Comunicação. É difícil? É. Por isso se torna mais interessante e desafiador. Adoro desafios. Se preciso for vou completar 500 entrevistas, ver que existem 1000 candidatos com qualificações que ainda não tenho, mas isso me leva a ter, descobrir que bom geralmente não é suficiente. Preciso ser ótimo.
Ta tocando no iPod: Sunday Morning - Maroon 5

7 comentários:

  1. hohohoho
    acompanhar mulheres apaixonadas é o tédio por completo, rsrsrs. Logo, logo essa fase passa, pode demorar, mas passa. Adobe, photoshop, hum... também "labuto" com isso, pode me ajudar com umas coisas? Já que você está com tempo sobrando, né.. Se puder e se quiser, me add ai no msn: lucasvitorino@live.com

    Ahh, dá uma passadinha lá no penseiescrevi.blogspot.com , atualizei. Valeu!

    ResponderExcluir
  2. hahahaha, concordo em numero e genero =]
    necessito de um emprego tbm, meu amigo (y)

    ResponderExcluir
  3. Nunca gostei muito de ficar à toa. Quando estava no segundo ano (EM) estudava todos os dias das 14h às 22h, parando para um lance e afins. Quando eu entrei de férias pude descançar, um tempo merecido e precioso, mas logo me cansei de descançar. Sempre clamei pelo ócio, mas sempre o fiz superficialmente... Adoro ter o que fazer. Muito trabalho, muitos textos pra ler... Adoro esses desafios que nos põe contra o tempo.
    Um dia vou ingressar nesse mercado da Comunicação, faço RP e ainda pretendo fazer as outras habilitações. Cedo ou tarde vou ter que enfrentar a pedreira de conseguir um emprego nessa nossa área.
    Boa sorte pra você! E continue achando coisas proveitosas pra fazer nesse tempo, aprender é sempre bom!
    um BEijo;*

    ResponderExcluir
  4. Tô correndo atrás de buffetizinhos de crianças pra ver se arranjo um dinheiro.
    Eu te entendo, boa sorte no caminho do ÓTIMO!


    http://alacarte-domeujeito.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. O importante é que você está disposto para este desafio!
    Isso é m,uito importante.
    Boa sorte nessa sua empreitada!
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oii, Fabio! Não sabia que você era colega de profissão também! Que bacana.

    Mas estou na mesma situação que você. Estagiava na área em uma empresa pública (que não contrata, só concurso ¬¬) e escrevia artigos para uma revista de comunicação da faculdade. Formei agora em dezembro e acabou tudo isso. Estou em um tédio também (e um certo desespero).

    À princípio, eu queria estagiar na área de planejamento ou marketing...Também tenho um pezinho na redação. Mas acho que no início nem dá para ecsolher muito, é pegar o que vier. Haha. Aí também resolvi criar um portfolio, mas não tenho a mínima idéia se está bom ou não. Haha. Queria até opinião de outras pessoas...

    Ma senfim, boa sorte para nós. É só ser perseverante.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Buenas, este tal de desemprego é mesmo bastante democrático: pega quem tá começando, quem tá no meio da carreira, quem tá no Rio, quem tá no Rio Grande. No meu caso, pra alegria dos que cantam a frescura dos gaúchos, sou demitido fresco. Nos dois sentidos, faz menos de um mês, e ainda estou na fase 'bem feito pra vocês, perderam um excelente profissional'... ai ai a pretensão... enfim, força na peruca, bom humor e espírito esportivo me parecem ser a única receita para atravessar esta ponte. Ou ficar sentado nela olhando o rio passar e pensando na vida...

    ResponderExcluir

Obrigado por estar aqui.
Comente! Afinal este espaço também é seu.