sexta-feira, 17 de julho de 2009

Harry Potter e o Enigma do Príncipe

Ainda lembro da primeira vez que assisti ao filme “Harry Potter e a Pedra Filosofal”, no distante ano de 2002. Achei o filme bem infantil, mas gostei da trama, dos personagens e da idéia da autora – a brilhante J.K.Rowling. Fiquei curioso. Na época, HP era uma febre incontrolável – mais ou menos como é o Crepúsculo hoje em dia. Decidi então ler o segundo livro, “Harry Potter e a Câmara Secreta” e ver qual era o potencial da saga do bruxo inglês. Eu era um estudante preguiçoso, ler pra mim era uma tortura. Mas eu devorei aquele livro. Era intenso, intrigante, engraçado, bem escrito. Lembro de como era difícil parar de ler, de como ficava entusiasmado a cada capítulo. Aquele livro mudou minha vida, pois, desde então, comecei a achar interessante a leitura. Hoje já perdi a conta de quantos livros eu li.

O fato é que Harry Potter não era algo pra criança como eu pensava. É incrível como J.K.Rowling soube criar um mundo próprio, com uma gama considerável de personagens carismáticos. Há muitos fatos obscuros, um vilão realmente cruel e com um passado interessante e um herói corajoso, mas sem grandes poderes e que enfrenta problemas comuns a qualquer jovem.

Ontem pude ver o sexto filme da série, “Harry Poter e o Enigma do Príncipe”. Achei um dos filmes mais sombrios, com menos ação é verdade, mas bem sombrio. Diria que os filmes foram crescendo com o público. Quem era criança em 2002, hoje é um jovem, que, provavelmente, se identifique com os personagens centrais da série. Há muito romance no filme, parece quase uma “Malhação” do bruxo em alguns momentos. Claro que os fãs febris (geralmente muito exigentes e metódicos) vão criticar por alguns fatos do livro serem pulados no filme. Um dia vão entender que se trata de uma adaptação. Mas mesmo assim me fascina ler o livro, imaginar as cenas e ver como elas são reproduzidas no cinema. Já aconteceu de eu imaginar exatamente como é mostrado no filme! É um filme meio denso demais pra quem não é fã da série. Chegamos na reta final, onde há muita explicação, então pra quem gosta mais de ver efeitos especiais e ação realmente fica chato em certos momentos. Mas nada que uma boa dose de humor que alivia as quase 3 horas de filme (ou seriam 3 horas? Sei lá).

Eu assisti. Eu recomendo!

Obs: Odeio pessoas idiotas no cinema. Um garoto passou o tempo todo gritando “Ronaaaaldo” e se exibindo pra “mina” dele. Realmente ridículo. Será que essas pessoas não entendem que cinema é um lugar público e que o respeito entre todos ali é essencial para que o lazer aconteça?
Bom final de semana pra vocês.

Ta tocando no iPod: Amor pra Recomeçar - Frejat (minha sogra vai me odiar por isso)

4 comentários:

  1. Eu concordo com o que você falou. Assisti o HP6 na pré-estreia e gostei muito, apesar dos meus amigos acharam que o filme foi ruim.

    E eu explico porque foi bom... são duas coisas principais na história do enigma do Príncipe: a questão das lembranças e dos horcrux; e um Harry desesperado atrás do Malfoy e viciado no livro de poções, além dos amigos crescendo e passando mais tempo juntos.

    O filme peca um pouco por não mostrar as outras memórias, porém ele mostra a interação entre os personagens de uma maneira fantástica, como nunca antes feita nos filmes. E o filme é muito sombrio, tenso... ele acaba funcionando como um teaser para os dois últimos.

    Mas que a invasão de Hogwarts ficou fraquinha, isso eu não posso negar. Nem teve batalha, nem nada. Quero ver o que vão fazer com as duas partes do sétimo...

    ResponderExcluir
  2. Quem me dera ser imparcial assim como você foi aí. Sabe, as vezes é meio difícil pra mim ir ver HP no cinema. Porque a partir do momento em que as luzes se apagam, começa uma luta entre emu lado cinéfilo e meu lado pottermaníaco. Me sento lá e vejo o filme conseguindo ver o porque de um outro corte, sabendo observar decisões dos diretores e dos roteiristas, mas ao mesmo tempo é uma dor incontrolável ver sua obra favorita ser mutilada.

    Acho que nesse caso não foi nem mesmo o enterro de Dumbledore, que muita gente tem falado por aí, mas senti falta, e muita falta, do "Não me chame de covarde!" do Snape, uma frase que mostrava tanto por um personagem, um momento que daria ao sempre mais do que excepcional Alan Rickman a oportunidade de brilhar mais do que em qualquer outra cena. Sinto que aos poucos o Snape está sendo reduzido a um recurso pelo homem por trás dos roteiros da série, e acho que isso não é fazer justiça a um personagem tão complexo e a um ator tão perfeito para ele. Será que o que os produtores querem é mesmo que no final, quando toda a verdadeira trama do Snape for contada, isso não tenha emoção nenhuma, de verdade? Acho que cortando uma única frase, em vista de roteiros anteriores que deram pouca importância para o personagem, eles estragaram um momento único de uma série incomparável.

    Talvez por isso ache que muitas vezes o trabalho de roteirista seja mais difícil e mais delicado em adaptar do que em criar. É preciso tanta frieza, tanta sabedoria. O Kloves às vezes tem os dois, as vezes não, e acho que isso pode estar levando, se não for corrigido, a um final que pode não soar tão alto quanto soou no livro.

    Enfim, é esperar para ver.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Pois é amigos, concordo em mtas coisas que vcs disseram.

    Foi um pecado terem reduzido o ataque a Hogwarts a uma mera passagem de portais (afinal, pq tantos comensais foram pra a escola? e na escola de magos ngm reagiu?). Cortassem então o ataque a casa dos Wesley!
    Reduzir a participação de Snpa foi outro crime! Ele era um dos principais nomes do livro (eii ele esta no TÍTULO DO LIVRO) e é um personagem tão cheio de dramas, que pode ser explorado de tantas formas...

    Essas foram falhas graves, mas, analisando o q foi apresentado, foi um bom filme mesmo assim...

    To lendo o último lviro novamente, pq esqueci completamente o q acontece hahahaha

    abraço e obrigado por suas brilhantes intervenções!

    ResponderExcluir
  4. Eu ainda não vi o filme, apesar de adorá-los. Estranho, Vi todos os outros no cinema. Do segundo em diante, vi na estréia ou no segundo dia.
    Não sei porque estou esperando!
    =)

    ResponderExcluir

Obrigado por estar aqui.
Comente! Afinal este espaço também é seu.