segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Especial Uruguai - Montevidéu IV

O Palácio Legislativo
Capítulo VII - Um pedacinho da Europa
Depois de almoçar mais um Chivito com fritas e tomar uma cerveja quente, fomos correndo para o hotel, pois o City Tour sairia às 14h30min. A guia que iria nos acompanhar era uma verdadeira hóspede da Torre de Babel. Filha de um russo com uma finlandesa, que se naturalizou uruguaia e fala português! Ela parecia não estar muito disposta a trabalhar aquele dia, pois estava com uma cara fechada e falava muito, mas muito baixo (tanto que pouco entendi as suas explicações). Eu insisti com a Nathi que ela parecia a Paula Toller, mas ela descordou categoricamente.
Ficamos aliviados de ter feito o passeio pela manhã. O City Tour não podia entrar pela Cidade Velha, já que as ruas eram muito estreitas. Se não tivéssemos feito nossa aventura matinal, perderíamos muitas coisas. Foi um passeio de duas horas, onde paramos em alguns monumentos, praças e prédios históricos.
Há dois pontos a destacar na tarde. O primeiro é o fabuloso Palácio Legislativo. Leiam bem: fabuloso, com efe maiúsculo! Uma construção de encher os olhos, sendo impossível não lembrar das construções imponentes que tomam conta da Europa. Além de ser uma obra grandiosa, fica mais destacado pelo amplo espaço aberto ao seu redor. Gostamos tanto de lá, que voltamos no fim da tarde para tirar mais fotos – também porque a bateria da câmera resolveu acabar logo no começo do passeio. Ao ver esta obra prima arquitetônica tive a sensação de que Montevidéu, assim como Buenos Aires, é um pequeno pedaço da Europa na América Latina.

O segundo ponto que destaco é o histórico Estádio Centenário. Infelizmente não pudemos entrar neste santuário do futebol mundial (berço da primeira Copa do Mundo), porque estava fechado (maldito feriado!!!). Por fora ele é muito antigo - confesso que não chama a atenção por sua beleza ou por uma arquitetura detalhada. Ele não é um Estádio alto e sim largo. Vi pouco da parte interna dele, porém pude perceber que ele parece bem confortável (posso estar redondamente enganado) e moderno. Jurei que um dia voltaria pra lá, só pra entra no Estádio e de preferência para ir a algum jogo.
O City Tour não foi tão bom quanto esperávamos que fosse. Na verdade, chegou a ser cansativo em alguns momentos – atribuo à falta de entusiasmo da guia. Mas serviu para conhecermos outras regiões da cidade. Quando acabou, nos encontramos com o Rodrigo e a Patrícia e voltamos a alguns pontos onde não houve parada e não pudemos tirar fotos (lembrando que a bateria da câmera tinha acabado). Depois da longa caminhada e de alguns táxis, voltamos para o hotel, combinando de nos encontrar mais tarde para sairmos à noite.
Nossa noite foi, digamos, “desastrada”. Nosso amigo Rodrigo trouxe um guia de bons restaurantes e nos indicou alguns na praia de Pocitos. Só que nos perdemos por lá e caminhamos por quase uma hora! Ao achar o tal restaurantes nos deparamos com portas fechadas e uma plaquinha dizendo “cerrado”. Nos restou voltar ao Centro e comer uma pizza e um filé em um restaurante já conhecido deles. Nossos novos amigos iriam partir na manhã seguinte, então deveríamos aproveitar o máximo do tempo possível.
O dia seguinte estava programado: pela manhã, visita ao Mercado Del Puerto; pela tarde, passeio pelo Parque Rodo e visita ao famoso shopping de Punta Carretas. Mas isso fica para amanhã, no último episódio do nosso Especial. Não perca!

Som do Camaleão - Yellowcard - Ocean Avenue

Um comentário:

  1. Tô começando a ficar angustiada por estar em casa!
    E não acredito que o estádio estava fechado. Eu, como mega fã de futebol, ia ter um troço de tristeza! ;**

    ResponderExcluir

Obrigado por estar aqui.
Comente! Afinal este espaço também é seu.