quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Especial Uruguai -Punta Del Este e Punta Ballena

"La Mano"

Capítulo II - Punta Del Este e Punta Ballena
Chegamos a Punta e admito que pensava que iria ter um impacto visual, o que acabou não acontecendo. Sem desmerecer, mas a primeira impressão que tive é que se trata de uma praia normal, só que com casas e prédios luxuosos. Nosso café da manhã seria em um lugar chamado “Il Mondo Della Pizza”. Não é estranho isso? O pior é que tinham pessoas comendo pizza! E o mais impressionante: eram brasileiros. As opções para café eram limitadas e o preço salgado, mas tínhamos que comer para encarar aquele dia que prometia muito. Também vimos uma cena engraçada. Na mesa ao lado tinha dois casais. Uma das garotas estava com um aspecto estranho, a noite deve ter sido forte. Eles conversavam animadamente, até que ela olhou para o cara e perguntou: “ah qual é teu nome mesmo?”. Depois dessa pagamos e tentamos aproveitar os 25 minutos que tínhamos até o ônibus partir para o “city tour”. Acho que andamos umas 8 quadras. Vimos casas lindas, algumas lojas e tiramos fotos no calçadão da Praia Mansa. Punta é uma península, de um lado o oceano Atlântico do outro o famoso Rio da Prata. Passamos pela avenida principal, digamos que é um centro, igual a de todas as praias, mas com lojas e marcas muito mais potentes. Voltamos no horário (corremos pelas ruas para não nos atrasar), mas outros membros da excursão não tiveram a mesma pontualidade (40 minutos de atraso, comecei a temer pela saúde da viagem...).
Minha paixão por fotos gritou quando eu vi o famoso monumento “La Mano”, uma escultura gigante de uma mão soterrada na areia. A intenção dela é meio trágica, é como se fosse o último suspiro de um ser humano, não é incrível? Mas, incrivelmente, não paramos (devido ao atraso). Isso me irritou um pouquinho, já que ali é um ícone da cidade, deveria ser parada obrigatória! Seria um registro lindo! Mas como diz a Nathi, “o importante é estar na nossa memória”. Paramos no famoso hotel Conrad. Não achei nada demais. É um hotel luxuoso que tem um Cassino. Aliás, o atrativo de Punta é o luxo e o glamour. Ainda não chama tanto a atenção de um estudante que faz as contas todo final de mês para saber se vai dar tudo certo. Claro que estar lá dá uma sensação de “sim, eu também posso”.
A próxima parada era na cidade de Punta Ballena, que fica muito, mas muito perto de Punta Del Este. Tanto que nem percebi que estava em outra cidade – até hoje ao meio dia eu ainda insistia que Punta Ballena era um bairro de Punta Del Este, mas a Nathi venceu essa queda de braço. Nem passamos pela cidade, apenas no seu ponto mais conhecido a “Casa Pueblo”, a casa do povo, uma obra do pintor e escultor uruguaio Carlos Paez Vilaró. Dizem que o formato da casa lembra o formato de um pão. Infelizmente não tive essa mesma percepção. Esta casa fica em um morro alto, com uma bela vista. Dizem que o por do sol ali é divino. Dizem também que Vinícius de Moraes, amigo do autor da obra, gostava muito de ir pra lá e várias músicas e poesias foram inspiradas naquela paisagem. A Casa Pueblo pode ser visitada, acho que deve ter muita coisa interessante ali dentro, mas, novamente, nossa passagem foi rápida. Deu só para tirar umas fotos e desfrutar da belíssima paisagem. Neste ponto já tinha melhorado meu humor (aliás, há muito tempo). Não havia como ficar rabugento em um lugar tão divino. Não vi o por do sol lá, mas apenas imaginá-lo já era inspirador. Enchi meus pulmões com o ar puro e entrei no ônibus.
Punta Del Este e Punta Ballena ficaram pra trás, nossa próxima parada seria em Piriapolis, uma praia cheia de mistérios e misticismo...

"Casa Pueblo"

Continua no próximo episódio...

Som do Camaleão: Dakota - Stereophonics

2 comentários:

  1. As passagens pelas cidades realmente foram rápidas, devido aos atrasos das pessoas.....mas sabe que é até correr nas ruas de Punta Del Este foi divertido, achavamos que iriram embora sem nós se não chegassemos no horário mas o que aconteceu, foi que ficamos esperando o atraso de 40 min dos outros..... na real de 3 pessoas em especial...3 irmãs..hehehehe

    ResponderExcluir
  2. Só comlementando...o Museu que funciona dentro da Casa Pueblo é um dos lugares mais fantásticos que já visitei. O Carlos Vaz Vilaró é um dos artistas mais intensos que já conheci. Um pouco da sua trajetória é mostrada em um documentário exposto no museu e suas obras de arte, assim como telas em tamnho pequeno estão acessíveis ao público. Um dos passeios mais lindos que já vivi e fiz! Recomendo!

    ResponderExcluir

Obrigado por estar aqui.
Comente! Afinal este espaço também é seu.