sexta-feira, 23 de julho de 2010

A arte de opinar

Quando a Internet se popularizou, e acreditem, isso não faz muito tempo, houve uma verdadeira revolução na sociedade. De repente, todos tiveram acesso a um espaço ilimitado, um mundo sem leis, onde todos podiam usufruir uma inacreditável liberdade.
Esta descoberta expandiu a liberdade de expressão, já que a Internet permite que seus usuários usem “máscaras” que protegem sua identidade. Diante dessa proteção, muitas pessoas adotaram comportamentos que dificilmente teriam no mundo real.
Para ilustrar essa situação, podemos citar o clássico exemplo do cara que antes suprimia sua existência, sem se manifestar pra merda nenhuma, mas através da internet ganhou voz. Ele passou a falar, ou melhor ele GRITA, a fim de ser visto, mesmo que através de uma falsa identidade.
Qualquer indivíduo pode se transformar no que quiser através da Internet...
Foi bom? É, por um lado foi sim. Entretanto, sabe aquela expressão “Quer conhecer uma pessoa? Dê poder a ela”? Pois é, pode ser aplicada neste caso.
Se por um lado ganhamos a possibilidade nos expressarmos para inúmeras pessoas, por outro acabamos conhecendo (ou comprovando) a existência um lado da sociedade que é extremamente selvagem, intolerante e covarde. Por exemplo, tente observar um fórum em uma comunidade do orkut, mas tem que ser um sobre um assunto que levante inúmeros tipos de opinião, como futebol, por exemplo. É impressionante como as pessoas não sabem ouvir opiniões que contrariem as suas. Muitas vezes a reação é exagerada, mal educada e infantil. Há pessoas que nem lêem o que foi escrito e já respondem “ahh vai tomar no c...”. Se no texto do cara tem algum, mesmo que mínimo, erro de português ou de digitação é fatal, todos caem em cima como se aquilo fosse o pior crime da terra.
O problema é que a sociedade ainda não sabe conviver com opiniões. Isso é muito novo pra nós, já que há menos de um século a maioria da população é alfabetizada e com direito a alguma opinião. Ainda há uma mistura no conceito de opinião e verdade. Quando alguém expressa uma opinião contrária, as pessoas reagem como se aquilo fosse uma possível verdade e passam a temer isso, sendo agressivas.

Felipe Neto e PC Siqueira
Diante de uma comunidade virtual que permite que todos opinem, mas que ao mesmo tempo permitem que essa opinião seja mascarada, reduzindo assim sua credibilidade, os que tem coragem para se expor acabam ganhando destaque, principalmente quando têm um bom discurso e abordam temas polêmicos. Recentemente dois jovens estão se destacando exatamente por compartilhar sua opinião de maneira franca: PC Siqueira e Felipe Neto. Dois fenômenos, amados e odiados por diferentes públicos. Ainda não pude ver muitos vídeos do PC Siqueira, mas já vi praticamente todo os do Felipe Neto.
Me agrada a ideia de um cara que levanta a bandeira da “livre opinião”. Muitos até podem questionar o fato dele ser ofensivo demais, às vezes concordo, acho ele exagera em algumas coisas. Mas a questão não é concordar ou discordar do que ele fala, é admirar o fato de que ele FALA! E incentiva que os outros falem. O mesmo cara que ataca Crepúsculo e bandas Coloridas, incentiva que seus fãs defendam seus ídolos (de forma inteligente) e não deixem de gostar daquilo só porque ele falou que era ruim. Em um vídeo ele diz “Eu não sou dono da verdade, não comprei a verdade. Sou dono do meu requeijão, esse sim eu comprei”. Você pode odiar o Felipe Neto, mas, no mínimo, deve admitir que ele não é arrogante com suas opiniões, já que incentiva opiniões contrárias. Opinar é uma arte, que exige conhecimento, talento e humildade.
Felipe Neto e PC Siqueira também comprovam que para existir na Internet você não precisa ser famoso ou trabalhar para grandes canais de comunicação. Hoje em dia é possível criar o seu canal e fazer sucesso com ele. Não somos obrigados a assistir o filho do pai celebridade ou o amigo do diretor do programa, podemos assistir pessoas com talento, que não tiveram a oportunidade nos veículos de massa. Essa é uma conquista que deve ser celebrada.
Fico feliz com o surgimento de caras assim, assim como ficaria feliz se surgissem defensores inteligentes da cultura pop atual, que não se limitassem a admirar algo só porque é da moda ou porque é bonito. Ver que a mania do momento é opinar me dá a esperança de que a juventude ainda tem salvação. Que surjam outras pessoas defendendo, sem medo, suas ideias, criando seus canais de comunicação.

Ao som de: sei lá, hoje to meio AC/DC

4 comentários:

  1. Eu acho que eu também ficaria feliz de ver pessoas que soubessem defender, com argumentos plausíveis, suas bandinhas coloridas favoritas. Mas eles se limitam ao: "eles são os melhores, cala a boca."
    Sei lá, viu, essas pessoas sem opinião me dão preguiça. :x

    E eu adoro o PC Siqueira! *-*
    Mas não gosto do Felipe Neto, não, acho ele muito escrachado, se é que você me entende...

    Beijo, Fabio

    ResponderExcluir
  2. É preciso entender que ele assume um personagem, que fortalece o seus argumentos através da ironia...
    Mas respeito demais sua opinião ;D
    Afinal, essa éa base central do texto.

    Valeu Gabi

    ResponderExcluir
  3. O que mais admiro no PC e no Felipe é a coragem... É preciso mta coragem pra falar o que pensa principalmente nesse nosso meio em que as pessoas não respeitam a opinião alheia.

    Como tenho acompanhando muito o Felipe Neto, tô vendo coisas interessantes. Tenho visto gente que gosta dele mas sem tietar (até porque ele 'ensinou' a não fazer isso) e gente que não gosta simplesmente por não gostar, por birra... Só por essa mania ridícula que se criou de criticar tudo! Tem gente que critica sem ver os vídeos, usa argumento dos outros e continua criticando e continua sem ver os vídeos... Puta coragem. Eu respeito e agradeço.

    Não concordo com tudo não, mas concordo com a atitude!!

    ResponderExcluir
  4. Acho super digno!!!!
    De verdade, independente se os caras elogiam ou xingam, o fato é que eles FALAM. Este é o grande desafio que nossa juventude encontra: FALAR! AS pessoas hoje em dia simplesmente, seguem. Literalmente!
    A ideologia morreu, a inteligência morreu. O bom senso foi substituido pelo senso - comum!


    Eu respeito as pessoas que gostam do nosso cenário atual ,mas, no fundo eu sei que eles tem "probleminhas".


    E é isso, espero que muitas outras pessoas possam fazer o que eles fazem... quem sabe ainda surge uma nova Geração Coca - Cola ??


    óóóóótimo blog, to adorando!

    ResponderExcluir

Obrigado por estar aqui.
Comente! Afinal este espaço também é seu.