sábado, 17 de julho de 2010

As perigosas talifãs

Para entender o post, assista o vídeo abaixo.



Será que ele foi claro? Será que essas fãs, que transformam admiração em doença entenderam?
Se não entenderam, permitam que eu esclareça em poucas palavras.

ELE DISSE QUE ELAS SÃO RIDÍCULAS!
R-I-D-Í-C-U-L-A-S

Ele não disse que ama elas, como erroneamente fazem os “ídolos” brasileiros, tipo o Fiuk e o Luan Santana que em seu twitter SÓ postam coisas do tipo “oi amores” ou “eu já falei que amo vocês hoje?”. Não, pelo contrário, ele disse que TEME elas, que não entende o comportamento selvagem delas!
E não pensem que vou fazer um texto criticando o cara, na minha opinião, ele falou o que tinha que ser dito, mesmo que isso custe umas fãs, ele não incentivou essa insanidade. Até porque, essas fanáticas, apelidadas pelo Bruno Mazzeo de talifãs, são perigosas mesmo, até eu tenho medo delas. Você deveria ter também, elas podem te atropelar no shopping na busca de um autografo.
O que me indigna, o que me dá nojo é ver o quanto essas garotas não se valorizam. O quanto elas se tornam doente por um cara que é gente como a gente, o quanto limitam seu pensamento. Elas dedicam anos da sua vida para uma pessoa que, provavelmente, nunca saberá de sua existência!
Pior ainda é observar a forma que elas conduzem essa admiração. Gritos histéricos, choros inexplicáveis, pinturas no rosto, milhares de Capricho e Atrevida no quarto, tatuagem (essa pra mim é a PIOR manifestação de adoração)... Tudo bem, tudo bem, eu entendo que a adolescência é uma fase de transição e que esse comportamento é comum, principalmente nas garotas. Mas, na minha época de adolescente, as garotas pelo menos admiravam caras com algum talento, como Brad Pitt e o Leonardo de Caprio. Hoje elas morrem por qualquer carinha bonitinho que surge. Elas morrem pelo Justin Bieber! Enlouquecem quando escutam o Restart! Não dá pra acreditar que pessoas tão vazias, com mensagens tão fracas se tornem ídolos! ÍDOLOS! A mesma humanidade que já admirou Sócrates, Jesus, Leonardo Da Vinci, Einstein, John Lennon, Michael Jackson... admira o Justin Bieber!
Sem falar na fúria que toma conta delas quando alguém critíca seus ídolos, elas perdem a razão e falam todos os palavrões do mundo, até inventam alguns. Se tornam mais idiotas do que já são.
Enfim, adorei a declaração do lobisomem depilado, apesar de achar que não é só no Brasil que existem fãs assim, e ele foi um idiota ao generalizar o conceito de brasileiro. Sei que não vai dar em nada, mas, por alguns segundos, as talifãs levaram um choque, voltaram de Matrix e visualizaram a realidade.

4 comentários:

  1. Clap, clap, clap.
    Sério, não tem o que tirar nem pôr nessa declaração, Fabio.
    Também considero tatuagem por "ídolo" a PIOR demonstração! Compre uma camiseta e vá ser feliz, besta.
    Mas dependendo de quem for, eu com certeza sairia correndo no shopping atrás de um autógrafo.
    Acho que a única diferença é que meus ídolos não são vazios. Visto a camisa com orgulho, literalmente.

    Beijo

    ResponderExcluir
  2. meu Deus, eu ADOREI este post!!!
    principalmente a parte:

    "A mesma humanidade que já admirou Sócrates, Jesus, Leonardo Da Vinci, Einstein, John Lennon, Michael Jackson... admira o Justin Bieber!"

    Eu poderia ficar falando aqui o resto da noite, mas vc já disse tudo neste post...

    Adorei, mesmo!
    é muito bom saber que tem + pessoas que pensam que nem eu xD

    ResponderExcluir
  3. MEU DEUS! Alguém já mostrou isso pra elas? Será que tinha como a gente interromper o novo filme bem na metade e passar esse vídeo nas salas de cinema?
    Apesar disso afetar a visão que o pessoal do exterior tem em relação ao Brasil, de uma forma geral, fiquei muito feliz em ouvir isso!
    MTO mesmo!!! Sensacional!

    ResponderExcluir
  4. Wow! Sensacional este post. É muito importante que esse tipo de coisa seja falada pelos "próprios ídolos" dessas fãs desatinadas, por que muita gente fala e elas não ouvem ou não querem mesmo ouvir.
    Adorei o blog, Fábio.

    ResponderExcluir

Obrigado por estar aqui.
Comente! Afinal este espaço também é seu.