segunda-feira, 5 de julho de 2010

A Detestável Fama de Bonzinho

Um dos maiores erros da sociedade é estabelecer rótulos. O olhar superficial das pessoas sobre as coisas as leva a estabelecer conceitos e julgamentos equivocados, que muitas vezes geram conflitos, crises, traumas... Rotular é cruel, é na verdade um ciclo, porque quem é rotulado dificilmente não pratica a “rotulação”.
Considero que o pior rótulo o de Menino(a) Bonzinho(a). Pensem comigo, um bad boy é capaz de mudar, um gordinho é capaz de emagrecer, um dentuço pode arrumar os dentes, um punk pode virar evangélico e um emo pode até virar gente (ta forcei, abraço aos emos), mas ninguém espera NADA do bonzinho! Nadica de nada. Qualquer tentativa de sair da fama é um desastre. Neste caso observo duas possíveis reações. Alguns debocham do cara e acham patético sua nova atitude, ele só piora a fama. Outros o recriminam, o crucificam, geralmente embalam as críticas com o bom e velho “que decepção”. Essa tentativa é suja, pois faz o bonzinho se sentir culpa e voltar a ser mais bonzinho ainda!
O problema não é nem a fama de ser bom, de ser educado. O grande erro das pessoas é limitarem o bonzinho. Para a maioria das pessoas o bonzinho não faz sexo, se faz, faz mal, não fala palavrões, não pode se alterar, não pode beber e nem ir mal numa prova. O bonzinho tem a dura tarefa de se manter na linha, é julgado o tempo todo. Pra piorar, a galera ainda tem na cabeça que todo bonzinho é bobinho. Essa é a pior parte desse rótulo, pois parece que todo mundo tenta tirar vantagem disso.
Essa perseguição é pior quando atinge famosos. Anos atrás a Sandy fez a besteira de dizer que era virgem aos 15 anos. A sociedade pirou, julgaram a menina, fizeram de tudo pra torná-la um personagem chato e correto. Conseguiram. Nessa Copa tivemos o caso do Kaká, que ao ser expulso chocou um país, quiçá o mundo! Britney Spear, acreditem jovens, quando começou a carreira era uma americana corretinha, de família. Tentou provar que não era. Hoje não é mais, mas enlouqueceu, simplesmente enlouqueceu... Valeu a pena?
Infelizmente eu sofro com essa realidade. As pessoas nem me conhecem, mas ao me verem já enxergam um coroinha ou um cdf. Tudo porque tenho cara de guri, sou educado, inteligente e procuro me manter calmo (mas sou extremamente nervoso, só não aparento).
Vivia o drama de querer me libertar, de provar que eu era um ser humano, que errava como todos. Fiz muita besteira, paguei muito mico. Agora eu simplesmente decidi que a melhor maneira de ser livre é, na medida do possível, ouvir a minha opinião e não dar tanto valor pra dos outros.
Um dia, não muito distante, teremos uma revolução de bonzinhos. Iremos pichar os muros! Não, tudo bem, isso é demais. Bom, talvez até vamos pichar, mas prometemos limpar no outro dia... Merda, não, ops... Realmente é difícil fugir da nossa natureza.

Ao som de: Welcome to the Jungle – Gun’s N’ Roses

Obs.: Sei, sei... Tenho que arrumar esse layout
Obs2.: Amanhã é dia de comentar nos blogs parceiros!

2 comentários:

  1. Eu, felizmente venci minha fama de menina boazinha porque não me deixei limitar por ela. Não estou dizendo que é o seu caso, mas é que quando me rotulavam assim eu achava que tinha que ser sempre assim. Até que me pisaram e eu comecei a ficar firme. Passei dos limites e fiz grosserias desnecessárias (existem grosserias necessárias? Enfim...) Encontrei um meio termo. Felizmente, hoje todos sabem que eu não sou santa, mas ainda esperam de mim um comportamento adequado porque eu, diferente da Britney, não enlouqueci! ;D

    ResponderExcluir
  2. Cara, eu não sei o que pensar dessa coisa dos rótulos, mas sei que o que você falou aí perto do final é a mais pura verdade: o melhor jeito de ser livre é se importar mais com o que te faz sentir bem do que com o que os outros acham disso.

    Eu me sinto bem sendo educado, calmo, tentando argumentar de forma racional e inteligente, e não brigando. Se isso me faz um bonzinho ou um babaca aos olhos dos outros, não estou nem aí. Aos meus olhos, o que eu faço é dar algum crédito a capacidade de ser racional do ser humano.

    Abraço! :D

    P.S.: Não esquece do Anagrama amanhã, hein?

    ResponderExcluir

Obrigado por estar aqui.
Comente! Afinal este espaço também é seu.