quinta-feira, 8 de julho de 2010

Psicopatas

Uma das minhas maiores características é ser curioso, querer entender de tudo um pouco. Leio sobre tudo, desde um artigo sobre genética até uma matéria em revista de fofoca. Entre meus inúmeros interesses, um se destaca: os psicopatas. Que fique claro, não admiro os psicopatas, apenas tento entender o que eles são.
Um psicopata não é apenas o clássico assassino cruel, muitas vezes um serial killer, que geralmente são os casos que mais chamam atenção do público. Um psicopata pode ser um estelionatário, que só pensa em poder ou um colega de trabalho que quer a todo custo subir na vida, existem vários níveis para medir o quanto um psicopata é perigoso. Podemos conviver com um, acredite, não é raro encontrar. A maior característica de um psicopata é a frieza, a falta de sentimento com os outros. Psicopatas só pensam no seu bem, mesmo que pra isso precisem passar por cima dos outros. Eles podem ser pais de famílias, pessoas respeitadas na sociedade e até fazer caridade, mas jamais vão de fato estar envolvidos com aquilo, tudo faz parte de um jogo que sua mente produz. Não há cura para um psicopata.
Levanto esse assunto em meio ao Caso Bruno, o famoso goleiro-capitão do Flamengo, recentemente campeão brasileiro que está sendo acusado de mandar matar sua amante. Não tenho dúvidas que ela está morta e que ele tem participação nisso. Neste momento o Brasil está chocado com os detalhes do crime, principalmente com a frieza do Bruno, que chegou a dizer, dias atrás, que iria “rir disso tudo”.
Segundo as investigações, Bruno teria espancado a mulher, sob nível de tortura, e assistido o seu assassinato. A parte mais chocante é que a vítima foi desmembrada, e seus pedaços foram atirados aos cachorros. Segundo a polícia, Bruno teria feito um churrasco logo em seguida, agindo como se nada tivesse acontecido.
Fica no ar a pergunta óbvia: Por que um jogador famoso, que ganha um salário de 200 mil por mês e que tinha um futuro promissor fez uma monstruosidade dessas? Tudo isso pra não pagar uma pensão que no máximo chegaria a 10 mil reais? Simples, Bruno fez isso para se livrar de um problema, nem pensou nas conseqüências, essa é a mente de um psciopata! A mente de um cara capaz de agir tranqüilamente mesmo sabendo que cometeu um crime. Algo que ninguém entende, pois psicopatas não são lógicos e Bruno é sim um psicopata!
Que a justiça seja feita...
ATUALIZAÇÃO
Acabei de ler uma matéria que confirma essa minha teoria, vale a pena conferir. Clique aqui.

2 comentários:

  1. O caso Bruno é mesmo difícil de entender. Não acho que Bruno seja um psicopata porque eles costumam ser mais inteligentes, sério.
    Também tenho certa curiosidade em relação a essas pessoas, mas te garanto: não queria conhecer um psicopata. Conheço duas... E dava tudo para nunca ter conhecido ;s

    ResponderExcluir
  2. Por isso que considerei por tanto tempo a possibilidade de fazer Psicologia.
    Esse assunto é intrigante. Tempos atrás a revista Psiquê publicou uma edição falando praticamente só de psicopatas. Adorei.
    Eu acho tão triste esse caso do Bruno. Tá que a Eliza (ou Elisa?) não estava plenamente certa, mas nada justifica a morte, né?
    Pior mesmo é ter que ouvir piadinhas sobre o caso...

    Beijo!

    ps: troquei o layout de novo, sim. Estou com uns planos para o blog. Pretendo colocá-los em prática em breve. Espero conseguir sossegar, daí!

    pps: que bom que o meu post te rendeu uma ideia. As ideias são sempre bem vindas nesse mundinho. Tô curiosa para ver esse post!

    ResponderExcluir

Obrigado por estar aqui.
Comente! Afinal este espaço também é seu.