segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Acabou, voltaremos à ignorância

Ufa! As eleições acabaram.

Esse, infelizmente, é meu pensamento sobre este período tão estressante e que passou. Sinceramente eu gostaria que não fosse. Gostaria de celebrar a democracia, mesmo que meu candidato não fosse eleito, como não foi (e deixo claro que o Serra também não era meu candidato). Gostaria de que a voz do povo, como sugere o sistema democrático, fosse um grito de alergia e não um grito de raiva, que na maioria das vezes diz “chupa perdedores”. Também gostaria que as campanhas eleitorais servissem como uma apresentação das propostas para o crescimento da comunidade e não como uma plataforma que promove a troca ofensas de entre os candidatos. Eu acho que a ideia inicial do processo eleitoral sugere que o público escolha o candidato com melhores propostas, que saiba atender às necessidades do povo. Mas o que vemos é o debate de quem é o menos sujo para governar o país. Por fim, gostaria que política fosse vista como algo sério.

Os monstros que criamos
O problema das eleições é que durante 4 meses o brasileiro resolve debater fatos que ele não debateu em 4 anos. Todos os questionamentos que deveriam ser feitos antes são feitos em cima da hora, de maneira afobada e desorganizada. Só durante as eleições é que o povo olha para aquela obra que está parada há um tempão ou tenta saber o que fizeram os políticos durante os seus mandatos. E eu estou falando daquele eleitor um pouco mais comprometido, que ao menos tenta não fazer merda na hora de votar. Também tem aquele que vota no que está ganhando as pesquisas... Mas este nem merece comentários.

Tudo é apresentado em um curto espaço de tempo, pois é nesse pequeno espaço que o cidadão tenta parar e prestar um pouco de atenção para o que aconteceu nos 4 anos. Os candidatos sabem disso, por isso é mais interessante pra eles montar um circo de acusações, resgatar escândalos que o povo esqueceu, fazer promessas vazias e supervalorizar as coisas boas, que passaram despercebidas. A sociedade é vítima da sua própria ignorância. Ela é a maior culpada do período eleitoral ser desinteressante e ter um nível baixo.  Se fossemos mais antenados ao que acontece na política, pode ter certeza que os candidatos seriam obrigados a fazer um discurso mais sério e comprometido.

Política Futebol Clube
Uma coisa que eu não entendo, e que faz as eleições serem estressantes, é o fanatismo político.
Até entendo quem se identifica com os ideais de um partido, que carrega bandeira e sai por aí cantando gritos. Não faz o meu estilo, mas respeito.
O que não entendo é quem faz disso uma guerra ideológica. Pessoas que não tem o menor respeito pela opinião alheia e que até agridem quem discordar das suas. Fanatismo no futebol já é ridículo, quando isso é levado pro contexto político é mais ridículo ainda!
É preciso ter cuidado, a coisa anda fugindo do controle, vimos isso de maneira muito escancarada nesta eleição. As pessoas não se contentam em expressar sua opinião, elas querem que as outras opinem a mesma coisa. Isso é radicalismo! E não falo de um lado, todos os partidos tem seus militantes agressivos. Todos.

Vamos dormir.
Finalmente não iremos mais receber e-mails com conteúdo duvidoso, que trazem acusações infundadas, teorias da conspiração ou falsos textos do Arnado Jabur. Isso já era e eu agradeço por acabar.
Infelizmente também voltaremos a dormir.
Iremos nadar na ignorância, nos conformar com as palavras do Jornal Nacional ou com as matérias da Veja. Iremos odiar ou amar o Diogo Mainardi. Esqueceremos de Brasília e só lembraremos na hora de bolar uma piada. Surgiram novos escândalos, novas conquistas, novos roubos, novos investimentos... Isso tudo será ignorado, pois a maioria nem quer saber. Por que se importar se daqui a 4 anos tudo será resumido?

Vamos dormir o sono dos alienados.

Sorte
Por fim, desejo sorte para a Dilma e todos os eleitos, pois agora eles são os representantes do povo. Eu sinceramente torço para que tudo dê certo, pois se fizesse o contrario estaria sendo um completo idiota. Afinal, não torço pra político, eu torço pro Brasil.

2 comentários:

  1. Sim, acabou. E muita coisa do que você disse aí é importante de ser lembrada para os eleitores que mostraram sua voz nessas eleições. São alertas baseados no que aconteceu após eleições passadas. Reclamamos da falta de qualidade das campanhas políticas, mas não fazemos nada para mudá-las durante os 4 anos que a precedem.

    Acho todo tipo de fanatismo ridículo. Não se inventou, até hoje, desculpa boa o bastante para perder o respeito pela opinião dos outros. Respeito ao pensamento alheio é a condição básica para qualquer ser vivo que deseje ser chamado de humano, na minha humilde opinião. E essa penúltima parte de seu texto chega a ser assustadora como um alerta.

    Que não durmamos, então. Para que, daqui a 4 anos, não acordemos nos dando conta de um pesadelo.

    Abraços! :D

    ResponderExcluir
  2. Desejo sorte também a nós, eleitores, conscientes ou não. O nosso destino tá nas mãos deles que foram eleitos. A eleição acabou, mas qualquer mudança está apenas por começar...

    ResponderExcluir

Obrigado por estar aqui.
Comente! Afinal este espaço também é seu.