sexta-feira, 19 de novembro de 2010

O mito Harry Potter

Finalmente! Depois de 9 anos de espera o último livro da saga Harry Potter chega aos cinemas.
Mas calma ai afobadinho, não é o último filme. É o penúltimo. Complicado? Revoltante? Não, é até fácil de entender. Pensando na qualidade e nos milhões a mais que podem arrecadar, os realizadores do filme irão dividir a história em 2 partes. É justo. Eles lucram mais, mas nós, fãs exigentes, temos mais chance de ver um filme mais detalhado, com uma história mais próxima da que é contada no livro. Igual nunca será. Os livros sempre serão melhores que os filmes. Isso é uma regra que dificilmente é quebrada (acontece, às vezes acontece).
Mas então por que o filme é tão importante para os fãs? Por que essa loucura toda vez que um Harry Potter vai estrear? Não tenho certeza, mas acho que inconscientemente os fãs sabem que os filmes consolidam a marca Harry Potter no mundo. São os filmes que propagam a fantástica história  criada pela mente extremamente criativa da escritora J.K. Rowling. Eu mesmo, só comecei a ler os livros após assistir o primeiro filme. Antes achava besteira, coisa de criança. Mas não é. Harry Potter definitivamente não é um livro pra crianças.
Os livros de Harry Potter me conquistaram por três motivos básicos. O primeiro é o mundo da magia. É incrível como Rowling conseguiu criar um universo tão bem articulado, com leis, cidades, criaturas, entidades, esportes e etc. Alguém irá dizer que ela usou elementos de uma mitologia já existente. Sim, e isso nunca foi negado. Mas ela se apropria desses elementos com autoridade de quem fez uma excelente pesquisa e os mistura com suas ideias próprias, criando uma nova mitologia. Ah, vamos deixar claro que ela respeita as características básicas dos mitos originais. 
Então, não temos uma cópia e sim uma nova ideia.
O segundo motivo é o mistério. Todo livro tem algo a ser desvendado e isso nunca é feito do mesmo jeito. A forma com que o trio protagonista chega à solução é sempre diferente, o modo com que eles vencem os seus desafios também. Não é como nos livros do Dan Brown, que tiram o fôlego, mas que se tornam previsíveis com o tempo. Harry Potter tem sempre o fator surpresa.
Por último, o grande destaque dos livros é a absurda  quantidade de personagens carismáticos que temos à disposição. O legal é que todos de alguma forma contribuem para o desenvolvimento da história. Nenhum está ali só por estar. Eles são bem encaixados, alguns são profundos (Snape, por exemplo), bem pensados e levam  facilmente o leitor para dentro da história. A maioria das pessoas se identifica com eles, pois mesmo sendo um mundo fantasioso, é um mundo que tem muitas semelhanças com o real. É impossível não se envolver com os seus dramas ou suas conquistas. É impossível não adotar uns e odiar outros. Outra coisa que devemos louvar é a frieza de J.K. Rowllin como escritora. Se ela tiver que matar um personagem, mesmo que ele seja carismático e importante, ela mata. Isso só comprova sua qualidade, já que mesmo gostando de determinado personagem, ela tem a consciência que a morte dele pode contribuir para a evolução da história. Poucos têm essa coragem.
Todas essas características, aliadas aos mais de 10 anos de sucesso, tornam Harry Potter uma lenda contemporânea. 
Acredito que os filmes cumprem um papel importante nesta consolidação da lenda, pois deram vida à obra. Não consigo imaginar os personagens do livro sem remeter à imagem dos atores. Aliás, é preciso reconhecer que o elenco sempre foi muito bem escolhido. Houve sempre uma boa mescla de juventude (atores mirins sem experiência) e experiência (atores ingleses consagrados),  o que garantiu boas atuações e cenas inesquecíveis.
Há 9 anos atrás, eu duvidava que Harry Potter pudesse manter seus fãs. Tantas modas surgiam e sumiam. Eram tempos duvidosos, onde a decepção com Matrix era gigantesca. A principal pergunta era: "qual a próxima saga que irá surgir arrebentando e irá arrebentar com seus fãs no final?". Pois Harry Potter conseguiu. Manteve seu elenco inicial (com exceção do ator que fazia Dumbledore nos primeiros filmes, que morreu) e a qualidade dos filmes só aumentaram. Agora iremos nos despedir e com esse clima de despedida, estou vivendo uma ansiedade infantil, contando as horas para entrar no cinema e acompanhar o começo do desfecho de uma saga que me emocionou muito nos últimos anos. Aliás, decidi que não vou encarar isso como um final e sim como a consolidação de uma lenda. 

Ao som de: NaS - The Message 


AVISO: Você pode receber os posts por e-mail! Como? Basta enviar um e-mail para fabio2cc@hotmail.com dizendo "EU QUERO RECEBER O CLUBE VIA E-MAIL". Em seguida você irá receber um e-mail pedindo confirmação do seu pedido. É só confirmar e pronto!

8 comentários:

  1. Eu tenho que desabafar uma coisa: ODEIO quando as pessoas dizem que Harry Potter é livro pra criança!
    Pode ser que no começo seja um pouco infantil sim, mas, acho que após o quarto livro/filme, tudo muda... lembro que quando estava lendo a parte do labirinto no HP e o Cálice de Fogo, era como se eu estivesse lá, do lado do Harry, ouvindo o grito dele qdo o Rabicho cortou o pulso dele e... nossa, mexe muito com a gente!

    A Rowling é fantástica, criou uma história perfeita onde, como vc mesmo disse, todos os personagens se encaixam e a historia nos surpreende do início ao fim!
    eu pago um pau pra saga, confesso que os filmes representam 0,1% da emoção dos livros - quem ainda não leu, faça o favor! - , mas, não deixa de ser uma senhora produção também.

    Ai, amanhã vou ao cinema para assistir o filme, com uma pontinha de tristeza, por saber que vai acabar... Mas, vou também com orgulho, porque, quando meus filhos perguntarem o que tinha de bom na minha época de juventude, direi: olha filho, uma das únicas coisas boas que teve foi a saga Harry Potter. E o grunge. o/

    Abraço Fábio!

    ResponderExcluir
  2. EU VI!! E cara, é tudo que se podia esperar, e muito mais. De fã para fã, é provavelmente uma das experiências mais incríveis que você vai ter numa sala de cinema. Não tem palavras para dizer o que cada passagem, cada cena, cada pequeno detalhe colocado em ordem, cada gota de fidelidade e criatividade, dosadas de forma impressionantes, fazem com a emoção de um fã. Eu chorei sim, e não foi uma vez, foram duas!! Imagine meu estado quando o segundo filme terminar. ashuahsuhas

    Mas nesse momento eu tenho muito ORGULHO de ser fã de HP. Mas muito orgulho mesmo. Porque o filme é entretenimento de primeira, porque a direção é equilibrada e versátil, porque o roteiro é o mais próximo da perfeição que o Steve Kloves poderia sonhar em chegar aos olhos de um fã, porque é o começo do fim de uma era que vai ficar marcada como o grande destaque do nosso século, e porque, como fã, Relíquias é uma experiência gratificante. É ter todos os seus sonhos atendidos. É chegar perto do paraíso. É fingir que o mundo é perfeito por duas horas e meia.

    Ok, talvez seja exagero de fã, talvez eu tenha perdido a objetividade. Se controle, Caio, e tudo isso. Ou não. Talvez só seja o melhor filme do ano. Não existe ninguém mais feliz hoje, dia 19/11/2010, do que um fã de HP.

    Parabéns a todos nós!
    Abraços! :D

    ResponderExcluir
  3. Já fazem 9 anos que a gente espera? Putz, não tinha percebido... Ainda não vi o filme, mas já me preparei. Assisti a quase todos os filmes anteriores de novo, para estar bem no clima. Confesso, porém, que não estou no humor ideal para enfrentar filas gigantescas e a isso, soma-se o meu medo do comportamento das pessoas no cinema. Nunca tive problemas assistido Harry Potter no cinema, mas atualmente o povo anda tão mal educado nas salas que não sei o que esperar. A única coisa que eu aceitei nesses anos de saga foi ouvir as meninas chorando a morte do Cedrico, hahah!
    Bom, o que eu acho mais interessante em Harry Potter é a evolução dos personagens. É isso que prova que os livros/filmes não são para crianças. Eles foram feitos para uma geração, mais especificamente, a nossa. Nós crescemos e Harry e seus colegas cresceram junto. E é fácil identificar isso e é por isso que nós que lemos/vimos o primeiro filme não perdemos a identificação com as personagens. Tava pensando nisso esses dias, quando conversava com umas meninas da faculdade sobre Malhação; ali não há evolução. É um programa feito para um público só e não para uma geração. Parece uma comparação meio apelativa, mas ilustra bem meu ponto de vista ;D

    Quando comecei o comment achei que ia falar pouco. Não foi um texto, mas deu fôlego ;D haha
    Love Harry Potter!

    ResponderExcluir
  4. Oi, eu sou herege.

    Não sou fã da série. Não li nenhum livro e nem ligo pros filmes.
    Tanto é que agora eu tô mais ansiosa pra assistir Jogos Mortais! :B

    Mas eu ainda pretendo ler os livros! :D



    beijos

    ResponderExcluir
  5. Harry é incrível, sem dúvida. E sempre vai dividir o mundo entre as pessoas que amam e as que não leram.

    Pessoalmente, a complexidade da história sempre me fascinou. Há um mundo ali. E melhor: paralelo ao nosso mundo. Nada distante. Tudo muito próximo. São aqueles mitos e aquelas lendas que smepre fascinaram a humanidade, mas recontados de uma forma nova e envolvente. (Vale a ressalta de que muitos autores se valeram desses mesmos mitos e lendas, mas poucos com a classe e a criatividade de tia Jo.)

    Quanto aos filmes, temos que superar essa coisa de esperar que sejam sempre iguais aos livros. Não. São artes diferentes, abordagens diferentes. Em livros, há a oportunidade de dizer muito mais. Em filmes, há a possibilidade de fornecer outras sensações a quem assiste. E, por isso, os filmes sempre serão novos. Mesmo para quem cresceu lendo Harry Potter.

    Vou assistir no domingo. Depois conto o que achei.

    :)

    ResponderExcluir
  6. Nossa gente, que comentários emocionantes, só comprovando o quanto HP é fantástico.
    Bom, a Gabi é sempre a do contra, hahahahhaa, mas sei que logo ela fará parte do grupo dos que amam HP.

    Vinícius, a linguagem da literatura e do cinema realmente são diferentes, diria que opostas. Eu critíco filmes que jogam no lixo a essência dos livros, como Eragon e Percy Jackson, por exemplo. Harry Potter manteve sempre essa essência.

    Valeu gente, fiquei bem feliz com os comentários.

    ResponderExcluir
  7. Pois é... Pra mim é como se o Harry, o Rony e a Hermione (além da Gina, Luna, Neville...) fossem todos meus amigos de infância.
    Passei 12 anos da minha vida ao lado desses personagens incriveis...
    Sempre me disseram que Harry Potter era febre, que iria passar como tantas outras modinhas. Mas sempre acreditei que seria uma história que permaneceria por muitas gerações. A prova disso é o meu primo de 8 anos, que já nasceu no auge de Harry Potter, e ainda assim é apaixonado pela série.
    Nós tivemos sorte de viver a época de lançamentos e estréias, mas tenho certeza de que as gerações futuras também vão ler e comentar muito os famosos livros de J.K Rowling.

    Adoro seus comentários!

    bjs

    ResponderExcluir
  8. Il semble que vous soyez un expert dans ce domaine, vos remarques sont tres interessantes, merci.

    - Daniel

    ResponderExcluir

Obrigado por estar aqui.
Comente! Afinal este espaço também é seu.