sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Um livro que se fecha

Antes de iniciar este texto, gostaria de deixar bem claro que ele é extremamente pessoal e envolve sentimentos, lembranças e noções que talvez só eu entenda. Durante dias me perguntei se deveria expor isso, já que durante um ano permaneci praticamente calado sobre este assunto. Decidi então que seria uma terapia desabafar aqui, já que eu acho que escrevo melhor do que falo e trancar estes pensamentos dentro de mim está me matando.



... Pegando ar pra começar...



Como é difícil encarar essa mudança.... Como é difícil tentar ver o lado positivo de um final. É o fim de um lugar que me abrigou durante anos, antes mesmo de eu existir. Não sei como será daqui pra frente, mas sei que será estranho. Estranho como este ano que passou, onde convivi com a notícia do final com absoluta tranqüilidade. No fundo eu nutria uma esperança, de que tudo fosse ser resolvido. Não foi. É o fim. Vamos evitar o drama, mas é impossível evitar as lágrimas. Elas são mais fortes que qualquer intenção.

Em poucos dias irei experimentar uma nova sensação. Nunca vivi sem isso, vou ter que me acostumar. Sei que não será fácil. Talvez eu demore pra me adaptar, talvez não. Quem sabe?

Sinto que um livro foi fechado, um livro com histórias lindas, cheias de capítulos emocionantes. Vejam só, nestas histórias eu nasci, eu aprendi a caminhar, a falar e a ler. Nelas eu convivi com pessoas tão diferentes, aliás, foi em algumas delas que descobri que as diferenças devem aproximar as pessoas e não afastá-las. Histórias sobre amizade, sobre amor, sobre união. Sim, teve histórias ruins (e não foram poucas), mas não crescemos sem elas. Eu cresci em cada uma delas.

Claro, dramático como eu sou, já estou preparando os últimos atos. Ainda vou andar sobre o paralelepípedo pela última vez, prometo tentar dar a volta com o balanço (nunca consegui, mas sempre tentei), cantar as últimas músicas, dar tchau para cada pedacinho de terra que houver, porque sei que cada pedacinho sabe um pouco sobre mim, como eu sei sobre eles.

Realmente é complicado. Sinto um aperto quando vejo que não posso evitar que o livro seja fechado... Dói saber que não poderemos escrever novas histórias nele. Os últimos capítulos serão escritos agora, nos últimos dias de 2010. Depois o livro será fechado definitivamente e colocado em um lugar de destaque na Biblioteca da Lembrança. Ninguém poderá mais alterá-lo, apenas recontar suas histórias.

É triste. Mas a tristeza não pode ser maior que a felicidade. Nunca! É hora de ser feliz por ter feito parte dessas histórias, por ter vivido tantas coisas legais dentro delas. É hora de entendermos que uma história não precisa ser eterna para ser bonita. Eterno mesmo, é só a sensação que elas nos trazem, toda vez que são contadas.

Que o Lar sempre exista em cada um que fez parte dele. Pra sempre.


Ta tocando no iPod: My Block (remix) - Tupac

3 comentários:

  1. Legal de ter partilhado com a gente. Mas pense, este livro será fechado, mas a cada ano, podemos sim escrever novas histórias, e tão bonitas quanto foram no passado uma vez que já estamos bem mais preparados para o que vier.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  2. Olha Fabio, eu não sei se eu entendi tudo-tudinho do texto, mas eu espero que você esteja bem.
    Todo final traz um novo começo, o livro fechado talvez fique por um tempo na Biblioteca da Lembrança sem que ninguém o abra, mas chegará uma hora que será com muita felicidade que ele será aberto!

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Aih Fábio... Nada contra você escrever um texto tão pessoal que talvez só você entenda. Eu é que fiquei aqui por bons minutos imaginando muitas coisas para tentar entender o que tudo isso significa. Confesso que senti um certo medo... Ainda é meio cedo, mas acho que vale desejar um bom 2011 agora.

    bjo;*

    ResponderExcluir

Obrigado por estar aqui.
Comente! Afinal este espaço também é seu.