terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Flores para a Flor


Hoje é um dia muito triste pra mim. Nesta tarde vou perder uma grande amiga, minha cadela Flor, que infelizmente esta sem forças para continuar ao nosso lado. E não pensem que ela não lutou. Foi Uma guerreira, desde que a acolhemos nesta casa.
Sua história com os Christófolis começou em 2006, quando ela e seu filhote foram jogados de um carro em movimento na frente da nossa casa. Por sorte, minha mãe estava por perto e viu a cena . Não pensou duas vezes: pegou os dois para cuidar. Logo viu que a cadela mais velha era cega e estava muito maltrada. Ambos estavam magros demais e  precisavam de comida, água e um lugar para se recuperar. Não demorou para isso acontecer e o filhote foi adotado por uma família. A cadela cativou a nossa, que mesmo tendo 3 cachorros quis cuidar daquele ser tão frágil. Visivelmente ela tinha sido muito maltratada e sua cegueira provavelmente não era natural, era fruto da maldade humana. Tratamos de dar um nome pra ela: Florisbela, que aos poucos se tornou apenas Flor.
Ela não era a mais bonita dos cachorros, nem a mais divertida, muito menos a mais simpática. Porém, não há como negar que ela era uma lição de vida. Mesmo cega, ela nunca deixou de viver. Corria mesmo dando de cara no poste ou na árvore. Latia para tudo que considerava ameaça, pois queria proteger quem a protegia. Chorava quando ficava longe de seu amigo Bruce, um labrador atrapalhado e cheio de manias, no fundo acho que ela o adotou.  Suas limitações nunca a privaram de nada e isso a torna a cachorra mais corajosa que eu já conheci. Talvez um dos seres vivos mais incríveis que convivi.
Confesso que tinha medo da Flor. Por ser cega ela se assustava fácil e algumas vezes me mordeu (não forte) quando fui fazer carinho nela. Me culpo um pouco por isso... Podia ter insistido mais, pois ela gostava de mim, sempre que eu chegava ela vinha correndo, esperando um carinho. Várias vezes dormiu no meu quarto, quietinha, sem incomodar – diferente do seu amigo Labrador, que anda abusado.  Se com os inimigos ela era implacável, com a família ela era um doce.
Infelizmente seus diversos tumores cresceram numa velocidade absurda nos últimos meses e aos poucos foram consumindo sua energia e causando graves ferimentos. Dói ter que sacrificá-la, mas dói mais ainda
vê-la sofrer. Não é uma decisão fácil...

Agradeço a Deus por ter nos dado a chance de cuidar da Flor, ao nosso lado ela viveu os 4 melhores anos da sua vida.

Agradeço à Flor por ter sido uma cachorra tão fiel e por ter vivido tudo que podia viver.

Descanse em paz.



Flor e seu amigo Bruce, mostrando que ela era enérgica com estranhos.

5 comentários:

  1. Poxa Fabio, eu imagino como você deve estar.
    Há duas semanas, nós decobrimos que o Boby, meu poodle de oito anos, está com problema de coração e terá que fazer tratamento pelo resto da viida, e isso já foi como uma facada pra gente.
    Força aí, aposto que a Flor vai agradecer.

    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Ai, Fábio... Que aperto no coração.
    Já tive um cachorrinho, mas por problemas de estar no apartamento, decidi devolver ele pra casa de onde ele veio. Felizmente eles o aceitaram de volta. Nunca tive coragem pra ligar e saber notícias dele porque sempre tive medo de ouvir que ele estava mal ou que já tivesse morrido.
    Nada disso chega perto do que você e sua família devem estar sentindo por causa dos probleminhas da Flor... Sinto muito.
    Bj

    ResponderExcluir
  3. Fábio, sinto muito pela Flor.

    Nunca tive que sacrificar um animal de estimação, mas sou muito apegado a minha cachorra. Admiro muito esses animais, acho que eles representam um ideal que deveria ser humano, mas não é. De amor incondicional e benéfico, de humildade e de força de vontade.

    De novo, sinto muito por ela. Mas como você disse ela viveu o quanto e como pôde.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Fabio!

    A Flor realmente era um doce! Tenho certeza que ela é muito grata a sua familia por tudo que fizeram por ela e pela acolhida.

    Todo cachorro é um exemplo para os humanos, deviamos observar e aprender com eles, e a Flor por todas as dificuldades que passou ainda mais!

    Fiquei triste com a notícia, espero que fique tudo bem!

    ResponderExcluir
  5. TAdinha.


    Lembre-se sempre dos momentos felizes no qual ela te proporcionol.

    Beijãoo!


    ray *

    ResponderExcluir

Obrigado por estar aqui.
Comente! Afinal este espaço também é seu.