segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

O trânsito estressado


Ainda estou perplexo com o caso do motorista que atropelou um grupo de ciclistas aqui em Porto Alegre. Perplexo, revoltado e assustado.
Que mundo é esse em que você está andando de bicicleta com os amigos, fazendo um exercício e até um bem pra natureza, e tem o seu passeio interrompido por um maluco estressadinho? Que loucura é essa? E não me venham com justificativas! Não interessa se os ciclistas estavam errados, nada justifica um ato como esse;
Ao mesmo tempo, quase não me surpreendo (sim, quase, por que o dia que eu deixar de me surpreender aí sim vou ficar com medo), pois todo dia vejo algum tipo de atitude estúpida no trânsito, provocada por esse estresse inexplicável que invade as cidades. Em Porto Alegre os motoristas são muito mal educados, acredito que no Brasil também. Aí sim entra a surpresa.
O nosso país tem um dos mais completos códigos de trânsito do mundo! O problema é que ele não é respeitado. Culpa de quem? Acredito que da nossa cultura. Eu ODEIO esse tal “jeitinho brasileiro”, porque isso induz muita gente a fazer coisas erradas. Não respeitamos leis, pois sabemos que podemos dar um “jeitinho” se formos pegos. Sempre há. As penas para motoristas imprudentes são brandas, o máximo que acontece é o sujeito ganhar uma multa pesada e perder o direito de dirigir por tempo DETERMINADO. Olha o Edmundo, já causou um acidente que matou pessoas e anda por aí livre e solto. E o Alexandre Pires que matou um motociclista? Cito os famosos, porque quem sabe o brasileiro lembra.
Cada vez mais carros vão para as ruas, cada vez mais motoristas se formam de maneira torta.

Olha que ridículo que é o curso de direção! Pra começar com aquele exame psicotécnico e médico, que deveriam ser sérios e não são. Quantos loucos estão dirigindo por aí? Deveriam rodar em testes que examinam a sua capacidade mental. E a parte teórica? Muito blábláblá, muito massivo, muita coisa inútil. Você tem 9 aulas pra assimilar um livro de quase 200 páginas, o que você faz? Aprende ou decora? Decora!
Nas aulas práticas você não aprende a dirigir, você aprende a passar na prova. É, porque a prova não prova nada, tem muita gente que não sabe dirigir e passa...

O fato é que nossa educação de trânsito é precária, podia ser bem melhor. Por lei, deveríamos ter educação de trânsito na escola, desde pequenos. Mas sabe por que não acontece? Porque é facultativo. Quem vai querer essa despesa na sua escola? Mas deixa pra lá, vamos estudar química e educação física! Pra quê ensinar os estudantes a importância de ser um bom motorista?

Só para se ter uma ideia, morre mais gente no trânsito do que em qualquer guerra que ocorre no mundo neste momento. Só no RS, foram mais de mil e quinhentos mortos em 2010. Até quando vamos conviver com um absurdo desses? Até quando vamos arriscar nossas vidas e a vida dos nossos entes queridos? É possível uma mudança? É! Há países com índices de acidentes baixíssimos!

Precisamos, antes de tudo, nos acalmar. Vivemos com uma inexplicável pressa, com a sensação de que o tempo é curto demais para tudo... E sabe o que é pior? Há tempo para tudo! Nos falta organização. Mas essa sensação nos estressa, pois há muita coisa pra ver, muita coisa pra ouvir, muita coisa pra fazer. Não somos programados pra isso. Não nos acostumamos. Por isso somos estressados.

É claro que eu condeno o motorista que passou por cima dos ciclistas, mas pergunto pra você, amigo leitor, você nunca se irritou a ponto de querer cometer uma loucura? A ponto de querer ferir uma pessoa e só não fez porque não tinha uma arma para isso? Bom, ele tinha um carro.

Um comentário:

  1. Na quarta série eu tive aula de educação no trânsito, em vez de Proerd, sabe? No final do "curso" a gente ganhou uma carteirinha de "passageiro responsável" que se a gente andasse com ela, a gente podia chamar atenção dos imprudentes, minha mãe nunca deixou eu fazer isso! :b

    ResponderExcluir

Obrigado por estar aqui.
Comente! Afinal este espaço também é seu.