sábado, 26 de março de 2011

O amor que não se explica

O amor que sinto por Porto Alegre é estranho. É difícil explicar em palavras, pois sentimentos são tão abstratos. Pior são os sentimentos que já nascem com a pessoa.
Já nasci amando Porto Alegre e nem sei muito bem o motivo.
É claro que sei reconhecer seus pontos positivos. Posso até citar alguns deles.
É uma cidade simpática, cheia de árvores e praças, além de cidadãos orgulhosos. Tem aquele tal “ar cultural”, tão comentado por quem vem de fora. Não é pequena, nem grande. Diria que tem a medida certa. Ir de um extremo pra outro demora no máximo uns 40 minutos – se não tiver trânsito.
Não considero uma cidade cara, principalmente quando falamos em comida. É possível comer (bem) no centro gastando menos de R$ 8,00. Além disso, oferece bons serviços e uma noite interessante aos boêmios de plantão.
No entanto, fico sempre com a sensação que falta algo a Porto Alegre. Na verdade, falta muita coisa pra ela será cidade que poderia ser.
Uma das coisas que mais me irrita em Porto Alegre é o aspecto sujo. Não que seja uma cidade com lixo na rua, muito pelo contrário. O departamento de lixo é muito eficiente. Quando falo “sujo” estou me referindo ao aspecto cinzento que muitos prédios possuem. São construções visivelmente antigas que destroem as grandes paisagens da cidade.
O centro, por exemplo. Tem lindos prédios antigos, com uma arquitetura rica e detalhista, mas que são encobertos por vários prédios feios e de aspecto sujo. Isso sem falar da falta de equilíbrio entre eles. Cidades organizadas e preocupadas com sua beleza urbana, não permitem que prédios grandes sejam construídos ao lado de prédios pequenos. Essa preocupação não existe por aqui. Aliás, às vezes sinto que não há nenhuma preocupação em apresentar uma cidade mais limpa. É absurdo o número de pichações que existe aqui! Vocês não sabem o quanto é lindo o viaduto da Borges, é algo que em qualquer lugar do mundo seria um cartão postal, mas que aqui é devastado por rabiscos sem sentido. Chega a ser constrangedor...
Poderíamos ter um sistema de transporte coletivo mais eficaz, mas ressalto que nossos ônibus são muito bons. A falta de um metrô é significativa e em pouco tempo será sentida pelos motoristas, se é que já não foi.
Sinto falta de pontos turísticos quando algum amigo de fora vem me visitar. Até temos, mas parecem opções tão limitadas. Em um dia você mostra tudo e ainda sobra tempo. Se eu tivesse grana investiria nas construção de monumentos ou em projetos arquitetônicos inovadores. Temos a linda orla do Guaíba! Por que não valorizá-la?
Porto Alegre é linda, precisa apenas se amar um pouco mais. Seus cidadãos são orgulhosos sim, mas acomodados também. A cidade precisa evoluir e isso não quer dizer que ela precisa se tornar grande. Montevidéu é um exemplo de cidade média e evoluída.
A boa notícia é que as coisas estão mudando. Há vários projetos em andamento, alguns já aprovados e outros já em execução que visam o crescimento da cidade. Quem sabe em breve meu amor por Porto Alegre não se limite ao inexplicável? Seja algo palpável e totalmente justificado?
No momento a amo da minha maneira, com críticas pontuais e a impressão de que ela poderia ser mais do que é. Hoje dou parabéns pelo seu aniversário e desejo sucesso no seu processo de mudança.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por estar aqui.
Comente! Afinal este espaço também é seu.