terça-feira, 5 de abril de 2011

Só mais um babaca


Uma vez eu fiz um post elogiando o Felipe Neto.
Uma vez.

Hoje em dia eu tenho pena do Felipe Neto.
É só mais um babaca que surgiu por aí e que se encantou com a fama.
Não que eu odeie o cara, continuo admirando o seu talento e algumas de suas ideias,

Explico. No início ele era um jovem com boas ideias, boas críticas e argumentos. Aos poucos foi ganhando reconhecimento do público e da mídia. Não demorou a surgir patrocínios e oportunidades. Justo, ele merecia.

O problema é que a fama fez mal ao Felipe Neto, principalmente à qualidade de seus vídeos. Tenho a impressão que o cara é limitado, só soube criticar coisinhas de adolescentes e quando essas besteiras acabaram ele não tinha mais nada pra falar. Quem acompanha ele sabe, depois que ficou famoso seus vídeos ficaram bobos e cada vez mais raros. Minha primeira decepção foi o vídeo que ele fez sobre política. Ali ele comete tantas falácias que chega a ser engraçado. Nitidamente ele estava criticando algo sem ter o domínio do assunto. Todo mundo elogiou, é claro. Mas só porque todo mundo aplaude quem critica políticos. É simples.

Outra coisa que me incomoda é a arrogância dele. No Twitter o Felipe Neto só responde ou troca ideia com famosos. Eu só vejo ele interagir com pessoas “comuns” quando ele ta afim de humilhar a pessoa. Outro dia ele deu um RT numa menina que não devia ter 12 anos e era fã de Restart. Logo uma chuva de xingamentos recaíram sobre a garota. Agora me diz, pra que isso?

Um Zé ninguém como eu acha que se um famoso tem um Twitter, é quase que obrigação dele interagir com o seu público. Afinal, ele só é famoso e ganha dinheiro por causa do reconhecimento deste público. Nada mais justo do reconhecer o público. Não to dizendo que é pra ele ser um idiota como o Fiuk ou o Luan Santana que passam o tempo todo “amando” suas fãs. Só acho que ele não precisa ter essa postura que dá a sensação ode arrogância.

Também peguei nojo da sua postura de “menininho rebelde que fala palavrão e é agressivo”. É muito fácil tirar onda de “garoto com atitude” quando se faz um vídeo ou quando se manifesta no Twitter. Ali o Felipe Neto é um. Porém, em aparições públicas o cara não passa de um rapaz delicado, até tímido. O que não é defeito nenhum. O problema é manter essa pose de “eu quero que se foda”. É covarde quando é feita sob a proteção da Internet. E não vem com essa história de que é um “personagem”, porque isso é mais covardia ainda. O Twitter é do personagem?

Pois no Twitter o rapaz que no Jô Soares mal respirava e que no Pânico quase não falou lança frases do tipo:

“Rebolation ganhou o prêmio de melhor música do ano. Eu torço pra que quem tenha votado nisso seja estuprado por uma matilha de cães”.

“Meu "Sobre Você" no Facebook me define por completo... - "Eu odeio humos, mas nunca comi".”

“Na verdade acho que esse é o problema da galera toda que fica pra trás... Chega aos 25 morando com os pais e se achando ainda adolescente”.

Agora quero comentar essa última frase, pois ela deu origem a um texto (clique aqui para ler) que eu considerei tão absurdo e infantil que preciso comentar. Foi o que faltava para o Felipe Neto perder a minha audiência (não que isso signifique alguma coisa).

Segundo a “brilhante” tese de Felipe Neto, pessoas que passam dos 25 anos e ainda moram com os pais ficaram pra trás, são retardadas. Ele comete a falácia de colocar todo mundo no mesmo saco, determina que todo jovem que mora com os pais fica na faculdade enchendo a cara e em roda de maconha (sim, porque no texto ele não faz distinção ou usa o recurso que eliminem a impressão que ele está generalizando). Um texto risível, onde um dos argumentos é uma piada do Friends.

Alguém precisa explicar algumas coisas pro Felipe.

A primeira delas é que os tempos mudaram. Hoje em dia o mercado de trabalho está fechado, exigente e concorrido. No tempo da avó dele quem sabia ler garantia um emprego, um bom emprego. No tempo dos pais dele quem tinha faculdade garantia um bom emprego. Hoje não. Nem um doutorado te garante nada. É claro que o incentivo à luta por um espaço é válido, mas não esse tom de que "é simples". Porque não é.

Atualmente um jovem de 25 está fazendo faculdade e a grande maioria luta para pagar a absurda mensalidade que elas estão cobrando. Quem estuda em faculdade pública e não paga nada, tem dificuldade com horários, devido à grade curricular. Ou seja, não é tão fácil assim Felipinho. E outra, graças a Deus nos nossos tempos temos a oportunidade de fazer estágio, que paga pouco, é verdade, mas proporciona experiências únicas. As pessoas também se divertem Felipe Neto. Sentar num bar depois de uma aula não quer dizer que você está ficando pra trás, só que você está aproveitando o momento, as coisas boas da vida.
Claro que existe muito abobado na faculdade, que jogam dinheiro fora e que só querem saber de festa, mas generalizar é burrice, é ignorância. 
Mas nem vou me ater muito nessa questão, pois até onde eu sei, o “julgador” Felipe Neto não fez, não faz ou pensa em fazer faculdade (por favor, me corrijam se eu estiver errado).

 É claro que é fácil falar sobre independência quando se está bem financeiramente, como provavelmente ele está. Só queria que ele percebesse que atualmente ele é uma moda adolescente (que ironia, logo os adolescentes que ele tanto critica são o seu pilar), ainda não consolidada. É provável que um dia a fama passe, que o dinheiro acabe. E aí Felipe Neto? Quem vai ficar pra trás?



Obs.: Ninguém precisa comentar essa bosta de texto. Eu só queria desabafar e desfazer um elogio precipitado que eu dei.

3 comentários:

  1. Eu gosto do Felipe. Perdi o rastro dele nos últimos tempos, mas acho que pelo menos dois dos vídeos dele, o de "modinhas" e o de "preconceitos", são cheios de ideias que deveriam ser bem mais absorvidas pela geração Youtube que devora as palavras dele sem digerir. Mas, claro, sem generalizar.

    Achei o texto dele muito mal-argumentado mesmo. Mostra a fraqueza de quem se confundiu com a fama: de um ator com opinião própria, bem-informado, que abria a mente de quem o assistia sem deixar de ser divertido, o Felipe se tornou um, como você disse, "julgador", pura e simplesmente. E não tem pior coisa do que um julgador tão prepotente que nem mesmo procura se informar sobre o que vai julgar.

    Enfim, é uma pena. Se seguisse na mesma linha, o Felipe podia ter se tornado o símbolo de uma geração de cabeça mais aberta. Tornando-se esse "troll" (que ele tanto criticou), só dá mais um mau-exemplo.

    Abraços, Fábio!

    ResponderExcluir
  2. Eu fico triste pelo Felipe. Ainda vejo uns videos mais antigos dele e acho muito bons. Os novos realmente não me atraem.

    Quando a coisa começou a ficar ruim, achei que fosse a 'mera' pressão dos patrocinadores e toda essa loucura que envolve a fama e o preço que se paga pra que ela dure mais de 15 minutos (Oi, Marcelo Adnet).

    Com o tempo, porém, fui percebendo que o Felipe Neto foi se transformando no personagem que ele tanto tentou afastar da imagem "real" dele. Agora ele é quase um rei que tem a coragem de criticar atrás da tela do PC e só tem a coragem de fazer o mesmo em público porque ganhou uma massa de seguidores tão fiéis e cegos quanto os fãs de Restart.

    Em condições normais, Felipe criticaria qualquer "imbecil" que fizesse um bando de loucos do twitter xingar uma menina de 12 anos que é fã de Restart. Hoje ele é uma das causas disso.

    E é por isso que hoje, apesar de discordar de muitas coisas, eu sigo o Tico Santa Cruz. HAHAHA

    ResponderExcluir

Obrigado por estar aqui.
Comente! Afinal este espaço também é seu.