domingo, 21 de agosto de 2011

Especial Santiago: Chegada

A ida

Se eu fosse supersticioso, certamente ficaria com muito medo de viajar de avião, no dia 13 de agosto e ainda fazer a rota Uruguai-Chile, cenário de uma das maiores tragédias aéreas do nosso Continente. Bom, eu não preciso ser supersticioso para ter medo de avião, é algo natural. Esses fatores citados acima, só pioraram esse medo.
Infelizmente o avião é necessário para grandes distâncias em pouco tempo, então não tem como fugir dele. Pra piorar, eu ia pegar 4 voos! Mas minha vontade era maior do que o meu medo. Na primeira viagem (POA - Montevidéu) eu fiquei bem nervoso. Tentei achar pessoas que estavam no mesmo “pacote” que eu, mas só vi um grupo de coroas esnobes com suas amantes novinhas e fúteis. Também vi uma família, que não parecia muito aberta à amizade (e eu tentei, duas vezes). Não tinha jeito, estava sozinho e precisava encarar isso. Viajei pela Pluna, um avião pequeno, com serviço de bordo caro (não dão uma barrinha de cereal). Tratei de colocar os fones de ouvido e ligar o iPod. Escolhi músicas que me acalmassem no início, depois coloquei um AC/DC para dar uma motivada. Em poucos minutos estava relaxado. Em poucos minutos cheguei a Montevidéu.

3 horas e um Freeshop

O aeroporto Carrasco de Montevidéu é lindo. Eu não pude ver muito dele, só por fora e na área de embarque, mas ele me impressionou. Não é grande (mas parece ser maior que o de POA), mas é suficiente. Os uruguaios são simpáticos e de cara recebi 10% de desconto no Freeshop. Minha meta era não gastar nada na ida, mas eram 10% de desconto, poxa!
Juro que tentei não gastar, mas eu tinha 3 horas até o próximo voo. Primeiro eu sentei, entrei na internet (wi-fi de graça!!!), mas o tempo não passou. O Freeshop era grande (não conheço muitos para saber se era, mas comparado com o de POA...) e tinha atendentes lindas que te dão toda atenção do mundo. Eu estava sozinho, precisava de atenção. Decidi que só ia olhar...
Em menos de 10 minutos eu tava com uma caixa gigante de Kit Kat (tinha Kit Kat branco e de caramelo) que custava 11 dólares. Depois vi o perfume que meu pai pedeiu, o Pólo Azul 200ml por apenas 88 dólares! Aqui deve ser o triplo disso. Estava decidido a só comprar o Kit Kat e na volta comprar o perfume, mas fui abordado por uma linda uruguaia que me ofereceu uma amostra de um novo Polo. Me apaixonei (pelo perfume ou por ela? Você decide!). Ora, eu tinha 10% de desconto e um pai e uma mulher linda para agradar. Claro que comprei tudo! O tempo de repente passou rápido, já estavam chamando para o meu próximo voo, rumo a Santiago.

Primeiras impressões

O voo Montevidéu – Santiago (o que eu mais temia) foi o mais tranquilo de todos. O mais lindo também. Enxergar a imponente Cordilheira dos Andes do avião não tem preço. Naquele momento eu pensei “já valeu a pena”. Eu estava seguro, feliz... Mas tinha a questão do transfer. Eu li que no aeroporto tinha guichês que ofereciam transporte do aeroporto ao hotel por 4 mil pesos. Quando você pega sua bagagem, dá de cara com um guichê, jurei que era esse. Aí começa o problema de comunicação com os chilenos. Eles são simpáticos e educados, mas muito tímidos – tive essa impressão. Eles não fazem muito esforço pra te entender ou pra serem entendidos. Falam mais rápido que os uruguaios e os argentinos. Primeiro eu tentei perguntar pela van, o cara não entendeu. Depois pedi um táxi. O problema é que esse guichê oferece um serviço particular, o mais caro do aeroporto! Logo que você passa o guichê, atravessa uma porta onde tem vários outros serviços... Sacanagem.
Mas tudo tem o lado bom e ruim. O motorista desse carro foi muito legal comigo, me deu algumas dicas da cidade, disse que Santiago era segura na maioria dos bairros, que era só preciso ter cuidado com os pertences (como em qualquer lugar). Parecia muito orgulhoso da cidade. Até me fez um roteiro básico! No caminho foi me apontando o que era cada coisa. Pude ver que Santiago é grande, cheia de prédios históricos, cheia de prédios modernos. É uma cidade cheia de luz, movimentada pra aquele horário (23h).

Susto no hotel
O hotel era o moderno e sustentável Gen Suíte (Av. Portugal, 415). Nisso eu tenho que tirar o chapéu para a "agência", o hotel era show! Mas, levei um susto quando cheguei nelel: não havia reserva no meu nome. O que poderia ser desesperador acabou sendo uma boa notícia. Claro que estava irritado com a “agência” de turismo, mas o pessoal do hotel foi ágil e consegui um quarto só pra mim! Quando saí daqui, jurei que dividiria o quarto com alguém, era o previsto. Dividir o quarto com um desconhecido é uma roleta russa. Poderia ser um cara legal, um companheiro de viagem. Poderia ser um chato, que estragaria tudo. Entre o certo e o duvidoso, confesso que gostei de ficar sozinho. Claro que eu adoraria um parceiro na viagem, mas estar sozinho reforçava o desafio.
O quarto era ótimo. Tinha cozinha, um banheiro espaçoso, uma cama confortável, uma “sala” e até um puff!

Noite
Pensei em conhecer a noite chilena no sábado. Mas hesite por vários motivos. O primeiro era estar sozinho. Eu tentei contato com brasileiros que estavam viajando. Tentei mesmo. Nenhum pareceu muito aberto. O plano era conhecer alguém e sair. Não conheci. Também fiquei assustado com o que gastei do aeroporto pro hotel. Quanto gastaria para sair à noite? Uma noite que não podia demorar muito, pois o plano era acordar cedo no outro dia. Valia a pena? Eu avaliei que não. Resolvi dar uma volta na quadra, tinha movimento e os caras do hotel garantiram que era tranquilo. Confiei neles. Respirei o ar do Andes e a poluição de Santiago, tentando me inspirar.
Voltei ao quarto e revisei meus planos. Aproveitei o wi-fi do quarto para dar uma olhada na internet e mandar notícia aos amigos e familiares.
Deitei, abri a janela e esperei o sono vir. Com dificuldade, ele veio. Estava ansioso demais pelo amanhã. Dormir era só uma necessidade.

Tá tocando no iPod: The Scientist - Coldplay  


"Ninguém disse que era fácil

Oh é mesmo uma pena nós nos separarmos
Ninguém disse que era fácil
Ninguém nunca disse que seria tão difícil
Eu estou voltando para o começo"

 Amanhã: Perdido – Cachorros loucos – Viajando na história – Estratégia Azul – Almoço no Mercado (com fotos)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por estar aqui.
Comente! Afinal este espaço também é seu.