segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Especial Santiago: Esculturas, café e metrô.

Após a viagem cultural e histórica na casa do Neruda, retomei minha jornada, ciente de que tinha muito caminho pela frente. O próximo ponto era a “Praça das Esculturas”, que ficava no bairro Providência, não muito longe dali. Antes eu precisava beber uma água. Agora atenção, em Santiago, assim como em Montevidéu, água sem gás é vermelha e com gás é azul. Falo isso porque no Brasil é ao contrário, e na pressa você pode confundir... Falando em água, a deles tem um gosto HORRÍVEL. Mas a sede era tanta que foi quase tudo em um gole só.

Segui costurando o bairro Bellavista, me despedindo do seu ar despojado, pois entraria em um bairro completamente diferente em poucos minutos.

Providência




Modernidade. Essa é a palavra-chave quando se fala no bairro Providência. Repleto de altos prédios espelhados, recentemente construídos e empresarias. Ali é um bairro empresarial, que manifesta todo o progresso econômico de Santiago. É como se você não estivesse na América do Sul, não na AS que você ouve falar por aí.

Não me impressionei só com os prédios e sim com as largas e modernas avenidas que cortam o bairro. Avenidas que garantem um acesso rápido às saídas da cidade, avenidas pensadas para muitos anos.

No caminho para a Parque das Esculturas, passei por uma bela praça, que tinha um monumento que lembrava um avião. A praça se chama Plaza do Aviator. Além do monumento, tem uma bela fonte de águas e parece ser uma fuga do domínio empresarial do local. No caminho para a Parque das Esculturas, você passa pelo Serviço Nacional de Turismo, um ótimo lugar para pegar mapas e informações – lembre-se, o Chile é muito mais do que Santiago – tem o Atacama, a Ilha de Páscoa, Valparaíso, Viña Del Mar, Patagônia... É interessante passar ali.

Parque das Esculturas

Vou ser sincero, não é nada demais. Bom, é pelas esculturas, que são incríveis, criativas e com estilos variados. Mas não vale uma caminhada não está disposto. Pra mim, o legal do Parque não foram as esculturas, foram as famílias. O Parque é cercado de muros, quando entrei parecia estar em um mundo diferente, onde a família ainda é a Instituição mais forte que existe. Eu fiquei encantado com isso. Mais irônico é saber que um Parque assim, tão família, fica no coração de um bairro empresarial. Quis tirar foto ao lado das esculturas, mas não tive coragem de interromper aquelas famílias. É besteira, eu sei... Foi o momento. Tirei algumas fotos e fui embora. Talvez deva corrigir o que disse no começo do tópico: vale à pena se você está acompanhado. Ali eu me senti solitário, me dei conta que estava sozinho.

Em busca de uma Starbucks!

Quando descobri que em Santiago tinha Starbkus, eu pirei. Finalmente eu provaria o café da cafeteria mais famosa do mundo. O único problema era que no guia só constava UMA loja, que ficava a léguas de distância do meu hotel. Mas ficava no fim do Bairro Providência, início do Las Conde (bairro chique de Santiago). Eu estava emocionado que chegaria lá... eu estava sentindo o gosto do café... eu... quase caí quando vi a porta fechada. Sim, a Starbucks do guia estava fechada! Foi uma baita frustração. Passei arrasado, pois o lugar era longe pra eu voltar ali só pra tomar um café. Mas era O café. Decidi que seria teimoso e segui em frente, já sem rumo, pois os objetivos tinham acabado e eram apenas 16h35min. O que ia fazer? Andar por Las Condes.

Aí eu estava andando pela Avenida Isidora Goyenechea quando vi uma Starbucks! Sim, OUTRA! Existia e ESTAVA ABERTA! Eu juro que pulei, eu quase atravessei a rua correndo sem olhar, eu estava em êxtase! Depois descobriria que existiam MUITAS Starbucks em Santiago (blé Guia!) e que provaria muitos sabores da cafeteria mais famosa do mundo.

Realmente o sabor é fantástico (e o preço salgado). Valeu a pena a caminhada. Ali na loja eu defini meu próximo destino, assim, do nada: iria procurar uma camisa da Universidade do Chile no shopping que meu amigo tinha recomendado.

Metrô

O tal Shopping fica perto do estádio do Colo-Colo, que eu não tinha ideia de onde era. Perguntei para o rapaz do Starbucks como fazia para chegar lá e ele ficou feliz (acho que era torcedor do Colo-Colo, pois disse que queria ir no estádio). Ele me deu uma boa explicação e indicou o metrô. Lembram que era uma das missões?

Paguei um mico básico quando fui procurar a estação de metrô, pois entrei no Estacionamento da estação. Sim, chilenos, eu moro numa cidade que não tem metrô urbano, vou saber que existe Estacionamento pro Metrô? O guarda riu de mim, mas um senhor me explicou como eu fazia.
Fiquei impressionado com a limpeza da estação que eu fui. Não só isso, com os terminais modernos. É legal que o terminal tem TV’s e ficam ligadas num canal de música. Você conhece vários artistas locais ali. O terminal que eu fui ainda tinha Wi-fi! Mais impressionado eu fiquei com o trem. Moderno, rápido e com gente educada. Aqui eu vejo uma guerra diária por um lugar, pessoas se batendo para poder sentar. Lá eu não vi UM jovem sentado. Todos deixavam lugares pros mais velhos. Não só isso. Primeiro eles esperam as pessoas saírem do trem, para depois entrar. É simples e bonito de ver. Depois disso nunca mais sentei no Trensurb, aprendi com os chilenos.

Vamos ao Mall!

Eu sou contra ir a Shoppings em viagem, a não ser que o shopping seja uma “obra de arte” como os que eu fui em Montevidéu (Punta Carretas) e Buenos Aires (Galeria Pacífico). Mas tinha prometido que ia nesse. A viagem de trem foi rápida, era dia de jogo da La U e fui acompanhado pelos fanáticos torcedores que cantavam sem parar, felizes com a vitória. A ida ao Shopping (ou Mall como os chilenos e a maioria do mundo chama) valeu à pena (peguei dois trens, mas só paguei um) quando vi que o Estádio do Colo-Colo ficava bem perto da Cordilheira dos Andes. Você tem noção do que é ver o pôr-do-sol ao lado da Cordilheira? Não achei a tal camisa, mas valeu o passeio. A minha perna estava começando a doer, e já era tarde quando resolvi voltar pro hotel. No caminho comprei minha janta: um Doritos e uma Coca Zero. Era Domingo, tudo estava fechado. Resolvi dormir, sonhando com os Andes...

Tá tocando no iPod: You Larn - Alanis Morissette

"You live you learn,
You love you learn
You cry you learn
You lose you learn
You bleed you learn
You scream you learn"

Próximo capítulo: Finalmente a neve!