sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

10 lugares que pretendo ir em breve

Patagônia (Chile/Argentina)

Quem me conhece um pouco sabe que meu maior sonho de viagem é a Patagônia. Desde adolescente, sonho com as montanhas, penso no clima frio, me imagino entre os animais selvagens, admirando os seus belos lagos e todos os elementos que fazem parte deste lugar fantástico. Até hoje,  duas coisas me impossibilitaram de realizar esse sonho: tempo e dinheiro. Quando tive tempo, não tive dinheiro. Quando tive dinheiro, não tive tempo. Agora parece que as coisas estão se encaixando e, talvez, eu consiga ir nas minhas próximas férias. e forma mais aventureira possível. Nada de pacotes da CVC ou de excursões. Quero ir com uma mochila leve, uma barraca e o desejo de conviver o mais próximo possível da natureza. Quero voltar sujo, barbudo e com a sensação de que vivi uma experiência única, que poucos podem afirmar que viveram. Será mais do que uma viagem turística, será uma viagem espiritual.


Machu Picchu (Peru)


Machu Picchu é outro lugar que me encanta há muito tempo. Aliás, os povos pré-colombianos me encantam há muito tempo. Os Incas em especial. Até hoje o acesso à “cidade perdida” é difícil, imagine há centena de anos atrás? Como um povo construiu uma civilização num lugar tão distante, tão complicado. E foi uma civilização avançada, que se desenvolveu isolada da cultura ocidental. Quero ir até o Peru para ver de perto, ouvir histórias (mesmo que controversas e com pitadas de exagero) e para ter histórias pra contar. 


Paris (França)

É meio clichê dizer que Paris é um sonho de viagem. Mas sinto que esse é um clichê tão nobre que poucas pessoas vão protestar. A cidade francesa é capital do romantismo, das artes e da sofisticação. Tem como resistir? Atualmente, meu desejo por Paris se acentuou depois que vi  “Meia Noite em Paris”, talvez o vídeo turístico mais lindo que o mundo já viu.  Ali percebemos que a capital da França é muito mais do que uma torre ou um palácio, como muitos tentam resumir – aliás. uma coisa que me irrita é saber que muitas pessoas já foram e não aproveitaram 5% do que ela oferece.  Quero imitar Gil, personagem de Owen Wilson, e andar pelos becos mais estreitos de Paris, entrar nos cafés mais antigos e reviver os anos em que os gênios da arte iluminavam a cidade da luz.

Kyoto (Japão)

Outra paixão antiga é o Japão. Talvez influência dos desenhos que assistia quando criança ( assisto alguns até hoje).Aprendi a mar a cultura japonesa, sua disciplina, principalmente o seu senso ético e sua organização. Também amo o Japão tecnológico, a sua recuperação pós-guerra e seu idioma complicado (um sonho: falar japonês). Nem falo sobre os ideogramas, pra não exagerar na rasgação de seda. Atualmente minha paixão no Japão se concentra nos jardins de Kyoto. Quando vejo uma foto dos jardins eu sinto a paz. Logo me imagino caminhando neles, pensando na vida. Não consigo imaginar um lugar melhor pra refletir.


Havana (Cuba)

Desde que me conheço por gente, há um eterno debate sobre a Cuba de Fidel Castro: deu certo ou não? Uns dizem que Cuba é um exemplo a ser seguido. Afirmam que os cubanos são felizes, que tem ótimos índices de educação, que o sistema de saúde é ótimo e que ninguém passa fome. Falam numa vida sem luxo, mas repleta de alegria. Outros falam em opressão, em um povo que sofre em silêncio, sonhando em fugir. Qual dos dois lados está certo? Não sei. Só indo até lá pra chegar a uma conclusão. Infelizmente (ou felizmente, não sei) essa Havana cheia de contrastes está com os dias contados. O governo cubano já está mais flexível, menos fechado. Não sei se vou ver com meus olhos ou se vou me limitar a ouvir histórias. Só sei que um dia piso lá. Espero que não demore.

Nova Iorque (Estados Unidos)

Não sei se você ama ou odeia, mas sei de uma coisa: é impossível não pensar em Nova Iorque. Ela é cenário de inúmeros filmes que amamos. Foi imortalizada na voz de Sinatra e nas rimas do Jay-Z. Também é o centro do poder do mundo. Aliás, não é exagero dizer que NY é a capital do mundo. É a cidade das cidades. Que tem gente de tudo que é lugar, configurando uma Torre de Babel moderna. Além disso é gigante, imponente, impressionante.
Gostaria de ir pra NY no fim do ano; Andar na neve e fazer a contagem regressiva na Times Square.Também quero subir no topo de um arranha-céu e andar sem rumo pelas ruas que nunca andei, mas, que de alguma forma, já estive. Afinal, todo mundo algum dia já esteve em NY. Pelo menos em pensamento. 

Atenas (Grécia)

Ir ao berço da cultura ocidental é quase que uma obrigação pra mim. Os gregos construíram a base do nosso mundo atual, foi lá que surgiram os principais conceitos de sociedade. Mas não é só isso. Sempre fui viciado na mitologia grega, nos seus deuses e heróis. Sem contar minha admiração pela arquitetura grega, seus belos templos que contam tantas histórias.
Além da parte histórica, a Grécia oferece belas praias e uma vida noturna agitada, com gente (leia mulheres) bonita de toda Europa. Tem como resistir?

Cairo (Egito)

O Egito também me fascina pela história. Os egípcios fizeram coisas impressionantes há milhares anos que deixam o mundo de boca aberta até hoje. Tanto que ninguém tem uma explicação concreta sobre o surgimento das pirâmides. Ah as pirâmides! Um patrimônio da humanidade. Fora isso,  levo em conta que Cairo é a maior cidade do mundo islâmico, com mais de 7 milhões de habitantes. Imagina quantas coisas pra ver?
Infelizmente minha ida ao Egito pode demorar. Além de caro, tenho impressão que é o destino mais perigoso que tenho em mente. Turistas já foram queimados vivos em um ônibus e a situação política atual não é das mais pacíficas.

Monte Roraima (Brasil/Venezuela/Guiana)


O Monte Roraima foi uma descoberta recente que fiz. Quem já viu o filme “Up – Altas Aventuras” deve se lembrar do sonho do casal protagonista de conhecer esse belíssimo lugar, onde as nuvens abraçam as pedras e a beleza natural quase cega nossos olhos. Fiquei interessado no lugar e procurei fotos. Foi amor à primeira vista. O Monte Roraima fica em três países: Venezuela, Brasil e Guiana, sendo a menor parte a brasileira. Não importa, as agências brasileiras são as mais bem preparadas e  oferecem pacotes acessíveis e roteiros interessantes. Ir ao Monte Roraima é uma aventura, exige muito preparo físico e mental, além de muita disposição para enfrentar o desconforto e os mosquitos.  Não vejo a hora de encarar esse desafio.

Bonito (Brasil)


A beleza natural de Bonito impressiona qualquer um. Procure no Google Imagens e você vai enlouquecer. Não tem como não ficar bobo com esse exibicionismo da natureza. Diante disso, fico até sem palavras pra descrever esse lugar divino
No fim do ano passado cheguei a procurar pacotes pra ir pra Bonito, mas tudo muito caro – conhecer o Brasil é mais caro do que conhecer outro país, fato. Minha vontade de ir pra lá ainda é forte, apesar do susto com os valores - estou aprendendo que agências de viagem mais atrapalham do que ajudam na realização dos seus sonhos.


EXTRA
Angkor - Camboja

Ainda não sei muita coisa sobre essa região e tão pouco sobre o país. Mesmo assim, adorei as fotos e as reportagens que li. Fiquei muito interessado nessa viagem incomum. Quero pesquisar mais, até porque estou só no campo da especulação, não posso firmar que PRETENDO ir. Só que me interessei.




Estas são as 10 viagens que mais penso atualmente. Essa lista pode mudar, é claro. Posso ir pra outros lugares, se surgir a oportunidade, posso mudar meus interesses. Mas atualmente são esses os 10 lugares que mais penso. Deve ser levado em conta as possibilidades que cada um proporciona. Paris, por exemplo. De lá posso ir pra várias outras cidades européias, ampliando minha viagem. 

E você, aonde pretende ir?


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por estar aqui.
Comente! Afinal este espaço também é seu.