sábado, 6 de abril de 2013

Dois anos



E um ano se passou desde que comecei a contagem regressiva pros “temidos” 30 anos. Prometi que faria uma reavaliação. Estou aqui para cumprir a promessa. Pois foi-se mais um ano, e pra seguir em frente, é sempre bom dar aquela olhadinha pra trás, correto?

Não.

Foi o que aprendi nesse ano. O presente é uma dádiva. E é isso que torna a felicidade real. Passado e futuro não existem. O passado existiu, o futuro existirá. Mas quem existe é o presente. E é ele que determinar o que você é.

Eu sempre sofri com o passado e temi o futuro. Acho que muita gente faz isso. Mas nesse ano eu vi que cada dia é uma chance de eu ser algo novo. Amanhã eu posso acordar, enfrentar um dia chuvoso, pegar um ônibus lotado e achar que o meu dia está sendo ruim. Até cruzar com alguém que me conte uma história incrível. Uma história que vai inspirar meus próximos dias. E não falo em sentar e ouvir a pessoa falar. Não! Ela pode me contar algo com um olhar, com um jeito de andar, com uma atitude inusitada como um “bom dia”.

Várias histórias nos rodeia TODOS os dias. E procuramos sempre encontrá-las em lugares distantes, com pessoas ideais. Ideal mesmo é viver. E viver vai além do que projetamos. Aliás, viver não tem nada a ver com o que projetamos.

Também encontramos vários desafios todos os dias. É desafiador ir em lugares diferentes, dar “oi” pra aquela pessoa que você vê todos os dias e quer conhecer. É desafiador manter o bom humor, abraçar as pessoas que amamos em datas não comemorativas. Já pararam pra pensar que antes da felicidade existe sempre um desafio?

E nesse ano eu procurei me desafiar sempre que lembrava que isso era necessário.  E eu  perdi, perdi muito. Perdi coisas importantes. Mas vi que amadureci ao entender que perder faz parte de um jogo, um jogo que não permite lamentações.

Por isso considero esse um ano mais feliz. Foi assim que fiz tantas coisas, que cresci tanto. E foram tantas que dessa vez eu não vou elencar.  

Aliás, deixa eu sublinhar: NUNCA cresci tanto em um ano.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por estar aqui.
Comente! Afinal este espaço também é seu.